Itália

Mais de 200 bombeiros combatem incêndios no noroeste de Itália

Cerca de mil pessoas foram obrigadas a deixar as suas casas devido aos incêndios que lavram na região noroeste do país há mais de uma semana. As cinzas mantêm Turim sob denso nevoeiro.

Alessandro Di Marco/EPA

Mais de 200 bombeiros combatiam, na noite de domingo, mais de uma dezena de incêndios florestais que obrigaram à retirada de centenas de pessoas nas regiões italianas de Piemonte e Lombardia, anunciaram os serviços de emergência.

A zona mais atingida é o Vale de Susa, onde as chamas, atiçadas pelos fortes ventos, se aproximaram das habitações.

Duas centenas de idosos foram retirados de um lar na noite de domingo e um troço da autoestrada, que liga ao túnel transfronteiriço de Fréjus, foi fechado ao trânsito.

Segundo os meios de comunicação italianos, as mais recentes retiradas elevam para mil o número de pessoas que foram obrigadas a deixar as suas casas devido aos incêndios que lavram na região há mais de uma semana, de acordo com a agência noticiosa France Presse (AFP).

A Grécia e Croácia enviaram, cada um, dois aviões Canadair para ajudar a combater as chamas, mas as fortes rajadas de vento e o fumo impediram, por algumas vezes, no domingo, o recurso a meios aéreos.

Segundo o principal sindicato agrícola italiano, Coldiretti, estes incêndios elevaram para 140 mil hectares a área de florestas queimada em Itália desde o início do ano, o triplo em relação a 2016, devido à seca que reina na península.

Após meses com níveis de precipitação largamente inferiores ao normal, em particular no norte, outubro revelou-se catastrófico: segundo uma análise dos dados das primeiras três semanas do mês, a Lombardia registou um défice de precipitação de 67% e Piemonte de 98%, de acordo com o Coldiretti.

As cinzas provocadas pelos incêndios mantêm Turim sob denso nevoeiro, uma semana depois de um ‘pico’ de ‘smog’: a concentração de partículas finas excedeu o limiar de 50 microgramas por metro cúbico em todas as estações de monitorização, mas tal não foi suficiente para impedir a realização da maratona que decorreu na manhã de domingo.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site