Divórcio

Mais de 60 divórcios por dia em Portugal em 2016

Dados divulgados esta terça-feira pelo INE indicam que, por dia, divorciam-se 62 casais em Portugal. O valor é inferior ao registado em 2016.

A taxa de divórcios em Portugal tem vindo a descer desde 2011, com exceção para o ano de 2015

Mais de 60 casais divorciaram-se por dia em Portugal em 2016, totalizando 22.649, menos 1.037 face ao ano anterior e menos 4.411 relativamente a 2011, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgados esta terça-feira.

Do total dos divórcios decretados no ano passado, 22.340 diziam respeito a casais residentes em Portugal (23.377 em 2015) e 309 (256 em 2015) a residentes no estrangeiro, precisam as “Estatísticas Demográficas 2016” do INE.

Em média, divorciaram-se por dia, em 2016, 62 casais, um número inferior ao registado em 2011 (73).

“O aumento do número de divórcios de casais residentes em território nacional que se vinha a verificar desde 2006, foi interrompido a partir de 2011, passando a uma diminuição até 2015, ano em que regista um aumento, para voltar a descer em 2016”, refere o INE na publicação.

A maior quebra verificou-se em 2013, com uma diminuição de cerca de 2.855 divórcios decretados.

Segundo as estatísticas, os valores da taxa bruta de divorcialidade acompanham a tendência de evolução do número de divórcios decretados.

Desde 2011 que a taxa bruta de divorcialidade apresenta um valor abaixo de 2,5%, atingindo em 2016 2,2 divórcios por mil habitantes, valor inferior ao do ano anterior (2,3%).

No ano passado, cerca de 36% dos homens e 39% das mulheres que se divorciaram tinham entre 35 e 44 anos, sendo a idade média ao divórcio de cerca de 45 anos (44,9 anos) para ambos os sexos, superior à verificada em 2015, que se fixou em 44,5 anos.

A análise do indicador por sexo revela que, desde 2011, a idade média dos homens ao divórcio foi sempre mais elevada do que a das mulheres, situando-se em 2016 em 46,1 anos para os homens e 43,7 anos para as mulheres.

Relativamente aos casamentos realizados no ano passado, os dados do INE indicam que registaram um valor muito próximo ao de 2015.

“Em 2016 a nupcialidade registou um valor muito próximo ao do ano anterior, em resultado da diminuição do número de casamentos entre pessoas de sexo oposto e do aumento do número de casamentos entre pessoas do mesmo sexo”, sublinha.

O valor da taxa bruta de nupcialidade manteve-se em 3,1 casamentos por mil habitantes.

No decurso de 2016, realizaram-se 32.399 casamentos (422 dos quais entre pessoas do mesmo sexo), mais seis do que os realizados em 2015.

De acordo com o INE, o adiar da idade ao casamento é uma tendência que se tem mantido ao longo das últimas décadas e para ambos os sexos: a idade média ao primeiro casamento em 2016 situou-se em 32,8 anos para os homens e 31,3 anos para as mulheres, que compara com 32,5 anos e 31,0 anos, respetivamente em 2015.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Divórcio

Mediação Familiar: conceitos e objectivos

Maria Flor Mendonça
470

Na sala do tribunal a vida do casal não está presente porque, aí, o casal perdeu o controlo e vê a sua intimidade avaliada por terceiros. Seja qual for a decisão do juiz, nunca será a decisão do casal

Crónica

Meus pais e seus aparelhos eletrônicos

Ruth Manus

Parece que todos os aparelhos eletrônicos que os meus pais compram foram vítimas de algum tipo de maldição que tornou seu funcionamento algo absolutamente anormal. 

Pobreza

Em nome dos filhos

Diogo Prates

Esta é a oportunidade de a direita portuguesa conseguir com um discurso simples mas eficaz apagar de vez a imagem de que a esquerda é a única que se preocupa com os mais pobres e desfavorecidos. Não é

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site