Catalunha

Barcelona. Polícia evitou confrontos em estação na partida de independentistas para Madrid

Polícia catalã separou grupo anti-independência de grupo pró-independência, que se foi despedir de políticos independentistas que partiram para Madrid de comboio para depor no Supremo Tribunal.

Pela cidade de Barcelona têm sido várias as manifestações "pró" e "anti" independência

Getty Images

Dezenas de independentistas concentraram-se esta quarta-feira à tarde na estação de comboios de Sants, em Barcelona, para se despedirem dos membros da Mesa do Parlamento catalão que iam viajar para Madrid para prestarem declarações no Supremo Tribunal. As audições acontecem esta quinta e sexta-feira e estes membros do Parlamento catalão estão acusados de “rebelião, sedição e desvio de fundos“, no âmbito do processo de declaração unilateral de independência da Catalunha.

De acordo com o El Mundo, a concentração tinha sido convocada através das redes sociais pela Assembleia Nacional da Catalunha, que acabou desconvocada minutos depois “a pedido dos membros da Mesa do Parlamento”, apesar de centenas de pessoas terem também manifestado esse apoio aos acusados, na Praça dos Países Catalães.

Durante uma hora, os apoiantes esperaram sem que ninguém aparecesse. Mas lá chegaram os políticos independentistas Anna Simó, Joan Josep Nuet, Lluís Corominas e Lluís Guinó. Na estação apareceram, por essa altura, uma dezena de jovens com bandeiras espanholas e aos gritos contra a independência e contra Carles Puigdemont. A polícia catalã (os Mossos d’Esquadra) tiveram de intervir para evitar incidentes, separando os dois blocos que se insultaram mutuamente.

Alguns dos manifestantes a favor da unidade espanhola tinham o rosto coberto e pediram prisão para Puigdemont. Ambos os blocos foram trocando gritos como se fossem claques organizadas. De um lado gritou-se “Inde-Independência”. Do outro “In-Inte-Intelegência”, com a mesma melodia.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rpantunes@observador.pt
Governo

Catalunha em S. Bento

Luís Reis
330

O desprezo que o Governo vota à Economia, às empresas e empresários, é uma constante e tornou-se gritante. Não incentiva o investimento, não dá sinais positivos de estabilidade e ufana-se de migalhas.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site