Celebridades

Membros de “House of Cards” dizem que Kevin Spacey era “predador”

181

Oito pessoas que trabalham ou já trabalharam "House of Cards" contaram à CNN que Kevin Spacey, protagonista da série, tinha um comportamento "predatório", principalmente para com homens jovens.

Getty Images

Oito membros ou ex-membros da equipa de produção de “House of Cards” alegam que Kevin Spacey assediou e agrediu sexualmente empregados da série. A CNN falou com todos eles em condição de anonimato, e todos são unânimes em descrever o comportamento do actor como “predatório” e “tóxico” para o ambiente de trabalho. Um antigo assistente de produção diz mesmo ter sido agredido por Spacey numa das primeiras temporadas da série.

Um antigo assistente de produção conta que, após ter ido buscar o ator a uma localização fora do estúdio, este colocou as mãos nas suas calças de forma não consentida, o que o deixou “num estado de choque”. O assistente não relatou o que se passou de seguida, por medo de poder ser identificado.

Quando chegaram ao local de gravações, o assistente diz ter ajudado Spacey a levar os pertences para a sua autocaravana, onde diz ter sido encurralado e tocado de forma inapropriada. “Não me sinto bem com isto”, disse o assistente a Spacey, que ficou “agitado” e abandonou o local de gravações, não aparecendo mais durante o resto do dia.

O incidente ocorreu, segundo este assistente de produção, meses após este ter feito uma queixa de que andava a ser assediado sexualmente por Kevin Spacey. Um supervisor solucionou o problema ao manter o assistente afastado do actor enquanto estavam ambos no local de gravações. Contudo, o ataque acabou mesmo por acontecer. O assistente diz não ter revelado o incidente a nenhum dirigente da série ou à polícia, tendo falado apenas com um colega.

O assistente de produção diz que as situações de assédio pararam, mas que “este tipo de comportamento predatório era rotina para ele”, acrescentando que a sua experiência foi apenas “uma de muitas” em que Kevin Spacey “explorava o seu status e posição”. O ambiente, diz, era “tóxico para homens jovens que tinham de interagir com ele”, fossem do elenco, figurantes ou membros da equipa de produção.

Estas acusações surgem no seguimento da revelação de Anthony Rapp de que Spacey interagiu sexualmente com o ator de “Star Trek: Discovery” em 1985, quando este tinha apenas 14 anos. Kevin Spacey tinha então 26.

Na sequência da denúncia, Spacey publicou um comunicado em que dizia não se lembrar “do encontro” e pedia “as mais sinceras desculpas por aquilo que terá sido comportamento bêbedo altamente inapropriado”. Kevin Spacey aproveitava ainda para anunciar que apesar de já ter tido relacionamentos com homens e mulheres, escolhia agora “viver como um homem gay”.

Kevin Spacey. Polémicas, segredos e rumores do misterioso ator

Todos os restantes membros com quem a CNN falou sustentaram a ideia de que Kevin Spacey era “predatório” e “tóxico”. Um deles conta que o ator que dá vida a Frank Underwood “punha as mãos [nele] de maneiras estranhas”, massajando-lhe os ombros ou “em torno do estômago”. O mesmo conta não se ter sentido confortável para impedir o ator, dizendo que gostava de “poder falar sobre estas coisas e não temer”.

Um antigo assistente de câmera diz que os assédios aconteciam num espaço aberto e que “toda a gente via” e todos comentavam. Contudo, ninguém reclamava – “quem é que vai acreditar num membro do staff?”, pergunta.

Uma antiga assistente de produção revela que assistiu a situações em que Spacey “brincava à luta” com outros homens “para lhes tocar”. Por vezes, revela, Spacey, enquanto cumprimentava membros da equipa puxava-lhes a mão em direção à sua virilha ou “tocava na virilha deles”.

Outro antigo membro diz que Kevin Spacey dirigiu comentários sexuais a um colega quando este se baixou para apanhar algo, dizendo-lhe que tinha um “belo rabo”.

A Netflix diz ter tido conhecimento apenas de um incidente “há 5 anos”, que foi “resolvido prontamente”. Além disso, diz a empresa, não sabe de mais nenhuma situação do género que tenha ocorrido no local de gravações de “House of Cards”.

A produtora da série, a MRC, diz ter tomado medidas quando, em 2012 e durante o primeiro ano de produção, surgiu uma queixa de um comentário e gesto inapropriados por parte de Kevin Spacey, que “participou de vontade própria num processo de treino”. Face à situação atual, a produtora disse à CNN ter implementado “uma linha telefónica anónima de reclamações, conselheiros de crise” e conselheiros legais para casos de assédio sexual. A série, que estava na 6ª temporada, foi suspensa.

Mais três acusações de assédio contra Kevin Spacey

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site