Cancro

Menino com cancro terminal quer receber postais de todo o mundo no seu último Natal

4.161

Esteve deverá ser o último Natal de Jacob, um menino norte-americano de nove anos diagnosticado com cancro terminal. A família está a pedir a pessoas de todo o mundo que lhe enviem postais de Natal.

Jacob gosta de Minecraft, de Legos, de pinguins e da Guerra das Estrelas. No seu último Natal, quer receber postais de todo o mundo

DR

Jacob é um menino de nove anos do Maine, Estados Unidos, que está a comover o mundo: tem um cancro em fase terminal e o seu grande desejo é receber postais naquele que, provavelmente, será o seu último Natal. Isto porque, em outubro, os médicos de Jacob disseram à família que o menino teria cerca de um mês de vida.

O pedido foi feito publicamente pela mãe de Jacob na semana passada, através do Facebook, e já começaram a chegar os primeiros postais. “Ele recebeu alguns postais no Halloween e abriu-os como se estivesse a receber um presente. Leu-os para nós com um grande sorriso na cara”, disse o pai, Roger Guay, à CNN.

Por isso, a família da criança quis dar mais uma festa a Jacob. Este ano, vão celebrar o Natal mais cedo e pediram a todo o mundo postais de Natal para o menino. Em poucos dias já chegaram centenas de postais e várias figuras públicas juntaram-se à causa, partilhando a morada para a qual devem ser enviados os postais.

Além desta campanha dos postais, os pais de Jacob estão também a organizar uma campanha de crowdfunding (financiamento coletivo) na Internet para ajudar nas despesas hospitalares e no funeral da criança. “Ninguém pensa em fazer este tipo de planeamento para os seus filhos, e por isso não temos nenhum seguro de vida para ele”, contam os pais, no texto que acompanha a campanha de financiamento.

Jacob foi diagnosticado com um neuroblastoma de alto risco aos cinco anos. “No dia 11 de outubro de 2017, o Jacob entrou no Hospital Pediátrico Barbara Bush pela última vez”, recordam os pais, lembrando que o tumor do menino tinha alastrado para o cérebro. Neste momento, também as ancas de Jacob foram afetadas pelo tumor, pelo que a criança já não consegue andar.

“Depois disso, eu e o pai de Jacob, o Roger, fomos informados de que devíamos passar o maior tempo possível com ele e que devíamos começar a preparar o seu funeral, uma vez que o Jacob podia morrer dentro de um mês”, explicam ainda os pais do menino.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Angola

João Lourenço e MPLA: estamos juntos?

José Pinto

Apesar do seu debilitado estado de saúde, José Eduardo dos Santos ainda é o Presidente do MPLA. As exonerações dos seus familiares diretos dificilmente mereceram a sua aquiescência.

Caso José Sócrates

Quid custodiet custodiam?

Luís Ribeiro

Agora que o puzzle está claro, quanto será reaberto o inquérito ao crime contra o Estado de Direito para conhecermos a cumplicidade dos que então eram os mais altos responsáveis da Justiça portuguesa?

Pobreza

Amar com obras e não com palavras

P. Miguel Almeida, sj

Há uma diferença entre culpa e responsabilidade. O facto de não termos culpa de haver fome e pobreza no mundo não nos isenta da responsabilidade, simplesmente porque somos todos irmãos em humanidade.

Panteão Nacional

O sacrossanto panteão de Santa Engrácia

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
112

Se a república é laica, porque se apropriou de uma antiga igreja católica para seu panteão nacional? O laicismo não é capaz de arranjar um espaço próprio, onde sepultar os seus próceres?

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site