Reino Unido

Ministra britânica da Cooperação Internacional demite-se

A ministra da Cooperação Internacional britânica demitiu-se após ter sido noticiado que a governante manteve encontros não autorizados com dirigentes israelitas, incluindo o primeiro-ministro.

ANDY RAIN/EPA

A ministra da Cooperação Internacional britânica, Priti Patel, demitiu-se esta quarta-feira após ter sido noticiado que a governante manteve encontros não autorizados com dirigentes israelitas, incluindo o primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu.

Na carta de demissão dirigida à chefe do Governo britânico, Theresa May, a ministra demissionária assume que as suas ações “ficaram aquém dos elevados padrões que são esperados para uma ministra”.

Em resposta, Theresa May vincou que o Reino Unido e Israel “são aliados próximos” e trabalham “em conjunto”, mas “através dos canais oficiais”.

Meios de comunicação social noticiaram mais recentemente que Priti Patel teve, em setembro, encontros com o ministro da Segurança Pública, Assuntos Estratégicos e Informação israelita, Gilad Erdan, e com o diretor-geral do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Israel, Yuval Rotem.

Patel viu-se obrigada a regressar esta tarde a Londres, de uma visita oficial ao Uganda, para uma reunião com a primeira-ministra britânica.

A ministra demissionária, que pediu publicamente desculpas na segunda-feira, tem estado sob pressão desde que foi revelado que teve 12 encontros não autorizados com dirigentes israelitas, incluindo Benjamin Netanyahu, e representantes de organizações não-governamentais e empresas durante umas férias, em agosto, e não deu conhecimento disso a Theresa May.

Um jornal israelita noticiou quarta-feira que Patel visitou, na altura, um hospital de um campo militar israelita nos Montes Golã, território que o Reino Unido considera ter sido ocupado ilegalmente por Israel.

Priti Patel é o segundo membro do Governo conservador de Theresa May que se demite numa semana, depois de o ministro da Defesa, Michael Fallon, ter resignado ao cargo, na quarta-feira passada, na sequência de acusações de assédio sexual.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site