Mundial 2018

Mundial2018. João Mário admite sair do Inter para poder estar na Rússia

O internacional português admitiu que pode sair do Inter de Milão no mercado de janeiro para jogar mais e ser convocado para o Mundial 2018. João Mário está em Itália desde 2016.

O médio do Inter foi um dos jogadores portugueses em destaque no Euro2016

MIGUEL A. LOPES/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O português João Mário admitiu esta quarta-feira que poderá abandonar o Inter Milão em janeiro, durante o próximo mercado de transferências, para poder jogar mais e garantir um lugar nos eleitos de Fernando Santos para o Mundial2018 de futebol.

“Falta algum tempo para reabrir o mercado. De certa forma irei ver o que vai acontecer e tomarei uma decisão com a noção do que é melhor para mim”, afirmou João Mário em conferência de imprensa, minutos antes de mais um treino da seleção portuguesa na Cidade do Futebol, em Oeiras.

Esta temporada, o médio de 24 anos foi apenas três vezes titular na formação italiana e nos últimos dois jogos nem saiu do banco de suplentes.

Obviamente que quero jogar mais, como todos. Acredito sempre que as coisas podem mudar e tenho o foco no meu trabalho. Irei jogar muito mais de uma forma ou outra. Tenho que aproveitar estes dois jogos com Portugal e mostrar que mereço fazer parte desta equipa. Nada tira a minha confiança e convicção que posso estar entre os eleitos no Mundial”, disse.

O médio formado no Sporting, que tem 29 jogos pela formação das ‘quinas’, considerou que Portugal entra no grupo de candidatos a vencer o próximo Campeonato do Mundo, que vai decorrer na Rússia, mas sem o estatuto de favorito.

“Um Mundial é diferente, é mais competitivo que um Europeu. Acredito que Portugal pode sempre ser candidato, mas há seleções mais favoritas. Nós acreditamos e sonhamos”, confessou.

João Mário adiantou que o particular de sexta-feira, em Viseu, com a Arábia Saudita é importante para preparar a participação no Mundial2018, sobretudo por ser contra uma equipa que poderá aparecer no caminho de Portugal na competição. “Podemos encontrar a Arábia Saudita na fase de grupos ou depois na fase a eliminar, por isso é importante preparar bem este jogo. É uma equipa com qualidade e vamos tentar vencer”, disse.

Questionado sobre a ausência de Cristiano Ronaldo, o médio admitiu que o capitão “faz sempre falta”, mesmo em jogos particulares. “É o nosso capitão e sentimos sempre a sua falta, pelo jogador que é, mas também pela pessoa que é”, concluiu.

A seleção portuguesa de futebol realiza esta quarta-feira o segundo treino de preparação para o particular de sexta-feira com a Arábia Saudita, numa sessão em que Fernando Santos deve contar com todos os jogadores.

Além de servirem de preparação para a fase final do Mundial2018, os particulares com Arábia Saudita e Estados Unidos, a 14 de novembro, em Leiria, terão um aspeto solidário, com as receitas a reverterem para as vítimas dos fogos, que sucederam em outubro. Estes ‘amigáveis’ serão os últimos jogos de Portugal, atual campeão europeu, no ano de 2017.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site