Assalto em Tancos

Dezoito unidades do Exército com sistema de videovigilância até final do ano

O ministro da Defesa Nacional disse hoje que foram instalados sistemas de videovigilância em 12 unidades do Exército e que está prevista a instalação em mais seis unidades, até ao final do ano.

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

O ministro da Defesa Nacional disse esta sexta-feira que foram instalados sistemas de videovigilância em 12 unidades do Exército, com um impacto financeiro de 471 mil euros, e que está prevista a instalação em mais seis unidades.

Intervindo no debate do Orçamento do Estado para a área da Defesa, no parlamento, Azeredo Lopes resumiu as medidas que tomou desde que foi descoberto o furto de material militar em Tancos e que, no que respeita ao reforço da vigilância eletrónica, deverão estar concluídas até ao final do ano.

Sobre este tema, Azeredo Lopes aproveitou para afirmar que as suas intervenções visaram, “do ponto de vista político”, garantir “medidas corretivas que fossem eficientes” e “nada tinham, nem nunca tiveram nada a ver, com a capacidade de o ministro descobrir culpados ou interferir na investigação criminal”. “Coisa que infelizmente muitos não perceberam ou não quiseram perceber”, lamentou.

Até ao final do ano, disse, deverão estar instalados os sistemas de videovigilância em mais seis unidades militares, medida com impacto financeiro de 271 mil euros, prevista na Lei de Programação Militar.

No Exército, foram realizadas três intervenções no campo militar de Santa Margarida – para onde foi deslocado parte do material que se encontrava nos paióis de Tancos, já desativado – uma despesa avaliada em 922 mil euros. Na Marinha, decorrem sete projetos para o reforço das condições de segurança, com um impacto financeiro de 1,53 milhões de euros, adiantou.

Azeredo Lopes disse ainda que está a avaliar um projeto para instituir uma “norma única” para manuseamento e transporte de material, comum aos três ramos, medida que também deverá ter “impacto financeiro”, mas que ainda não está estimado. Quanto ao sistema de informação comum aos três ramos das Forças Armadas, que abrange inventários e logística, “estará concluído até final de março de 2018”.

O Exército divulgou em junho o furto de material de guerra nos paióis de Tancos, entretanto recuperado pela Polícia Judiciária Militar.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site