Canábis

Legalização da canábis no Canadá pode render mil milhões de dólares ao governo

A legalização da canábis no Canadá, prevista para 1 de julho de 2018, pode originar uma receita orçamental de até mil milhões de dólares canadianos anuais, anunciou sexta-feira o governo federal.

YURI CORTEZ/AFP/Getty Images

Autor
  • Agência Lusa

A legalização da canábis no Canadá, prevista para 1 de julho de 2018, pode originar uma receita orçamental de até mil milhões de dólares canadianos (680 milhões de euros) anuais, anunciou esta sexta-feira o governo federal. “Se o mercado é de cerca de 40 mil quilos (…), então as receitas fiscais serão da ordem de mil milhões de dólares” canadianos por ano, estimou Bill Blair, deputado e antigo chefe da polícia de Toronto, que está a dirigir o ‘dossier’ da legalização da canábis.

“É uma estimativa por alto”, porque a dimensão do mercado da canábis legal continua difícil de determinar, relativizou, durante uma conferência de imprensa. Como tinha anunciado o primeiro-ministro Justin Trudeau em outubro, as finanças públicas vão cobrar uma taxa de um dólar canadiano por grama de canábis vendido até 10 dólares. Além deste valor, a taxa passa para 10%.

O produto desta taxa, segundo o projeto de lei, vai ser dividido entre o governo federal, que fica com metade, e pelas 10 províncias e pelos três territórios. O governo federal vai ter de criar o quadro regulamentar que permite às províncias, com a responsabilidade de organizar os canais de distribuição, vender a canábis de forma legal a partir de 1 de julho.

O principal desafio mencionado pelo governo de Trudeau, a propósito da taxa, é o de poder propor um produto acessível para desencorajar os compradores a recorrerem ao mercado negro.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
CDS-PP

O grande Gatsby

Miguel Alvim

O depoimento de Adolfo Mesquita Nunes, apesar da manchete mediática que inegavelmente teve, constituiu, sobretudo, uma proposta de promoção pessoal.

PSD

Sulistas, populistas e… que mais?

Helena Cristina Coelho

Por um lado, Rui Rio aparece de peito feito a condenar o abominável populismo, que rejeita — por outro, parece cair em tentações populistas, em que cede. O que esperar daqui?

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site