Saúde

Médicos: Portugal já se compara com países com piores cuidados de saúde nalgumas áreas

1.351

O bastonário da Ordem dos Médicos considera que Portugal já se compara a alguns países com piores cuidados de saúde. Um em cada dez portugueses não compra os medicamentos por não ter dinheiro.

Miguel Guimarães diz que Portugal é o país com os medicamentos mais baratos da Europa

TIAGO PETINGA/LUSA

Os médicos consideram que Portugal começa a comparar-se com os países que oferecem piores cuidados de saúde nalgumas áreas, referindo as dificuldades de uma “percentagem significativa” da população na compra de medicamentos.

“Já nos começamos a comparar com os países que oferecem piores cuidados de saúde. Uma percentagem significativa da população tem dificuldade no acesso a consultar um médico ou a comprar medicamentos, que estão baratos. Portugal é o país da Europa que tem os medicamentos mais baratos”, afirmou à Lusa o bastonário da Ordem dos Médicos.

Miguel Guimarães comentava à agência Lusa dados de um relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), divulgado esta sexta-feira, e que mostra que, no ano passado, um em cada 10 portugueses não comprou medicamentos prescritos pelo médico por motivos financeiros.

“Estamos a ficar numa situação muito grave em termos de desigualdades sociais e é o maior problema na área da saúde. As desigualdades sociais em saúde têm de ser olhadas com muita atenção”, afirmou o representante dos médicos.

Para o bastonário, o grande problema do desinvestimento público na saúde é o consequente aumento das desigualdades sociais, quer no acesso a medicamentos, a médicos ou a exames.

No relatório hoje conhecido – que traça um panorama da saúde global -, Portugal surge acima da média dos países da OCDE no que respeita à dificuldade em comprar medicamentos prescritos pelo médico.

No que respeita a consultas médicas, 8,3% dos portugueses falharam uma ida ao médico por motivos financeiros em 2016, sendo que, neste item, Portugal está abaixo da média europeia, que é de 10,5%.

O relatório Health at a Glance 2017 da OCDE traça uma visão geral da saúde dos 35 países da organização, mas reporta-se a alguns dados de 2016 e a vários de 2015.

Reportando-se a dados de 2015, o documento mostra que, em Portugal, cada habitante teve em média 4,1 consultas médicas anuais, abaixo da média da OCDE, que é de 6,9 consultas por habitante num ano.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Saúde Pública

Votar o futuro da Saúde da nação

Francisco Goiana da Silva
216

Resta-nos a nós, cidadãos, esperar que quando esta medida de Saúde Pública [taxa do sal] for votada, os deputados não se esqueçam de acautelar a vontade da sociedade. 

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site