Sporting

Sporting confirma expulsão de Paulo Pereira Cristóvão de sócio do clube

141

Sporting confirmou esta sexta-feira em comunicado que Paulo Pereira Cristóvão foi expulso de sócio por "violação dos estatutos e inobservância de vários deveres a que todos os sócios estão obrigados".

Paulo Pereira Cristóvão terá recusado ser informado da notificação da expulsão de sócio do Sporting

JOSE SENA GOULÃO/LUSA

O Sporting confirmou esta sexta-feira, em comunicado, que Paulo Pereira Cristóvão, antigo candidato à liderança do clube e ex-vice-presidente entre 2011 e 2012, foi expulso de sócio dos leões, numa decisão tomada por unanimidade pelo Conselho Fiscal e Disciplinar verde e branco numa reunião que se realizou há mais de um mês, passando a ter efeitos práticos no dia 17 de outubro.

Sporting. A denúncia feita na PGR, a resposta de Bruno de Carvalho e a notícia nas entrelinhas

De acordo com a missiva, os leões explicam que o ex-inspetor da Polícia Judiciária terá violado os estatutos do clube, ao mesmo tempo não cumpriu deveres a que todos os associados do clube estão obrigados. O comunicado acrescenta ainda que Paulo Pereira Cristóvão se terá recusado a ser informado dessa notificação.

O comunicado publicado no site oficial do Sporting (que dá conta da decisão mas que nunca fala da situação de outro associado e acionista também alvo de processo, João Pedro Paiva dos Santos) foi o seguinte:

O Sporting Clube de Portugal informa que, em reunião realizada a 6 de outubro de 2017, o Conselho Fiscal e Disciplinar decidiu, por unanimidade, expulsar o associado Paulo Pereira Cristóvão por violação dos estatutos e inobservância de vários deveres a que todos os sócios estão obrigados, considerando, ainda para mais, o estatuto de utilidade pública da instituição.

Em causa estão, nomeadamente, a violação dos seguintes deveres: honrar o Clube e defender o seu nome e prestígio, zelar pela coesão interna do Clube, manter impecável comportamento moral de forma a não prejudicar os legítimos interesses do Sporting – designadamente, defendendo e zelando pelo património do clube –, e, adicionalmente, e por ser, à época das infrações, órgão social, deveria cumprir e fazer cumprir os estatutos e exercer o respetivo cargo com a maior dedicação e exemplar conduta cívica e moral.

Esta decisão, que produziu efeitos a partir de 17 de Outubro, foi remetida a 13 do mesmo mês ao referido ex-associado, de acordo com a lei, tendo-se constatado que o mesmo se recusou a ser informado da respetiva notificação.

Foram já dadas instruções ao departamento de Sócios do Sporting Clube de Portugal para que o ex-associado Paulo Pereira Cristóvão seja eliminado da base de dados do Clube, não obstante já se verificar que o mesmo não cumpria o dever de pagamento de quotas desde Dezembro de 2016.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site