Catalunha

Independentista CUP decide concorrer sozinha às eleições regionais da Catalunha

A assembleia da CUP decidiu que a formação independentista vai concorrer sozinha às eleições da Catalunha em 21 de dezembro.

QUIQUE GARCIA/EPA

Autor
  • Agência Lusa

A assembleia da Candidatura de Unidade Popular (CUP) decidiu que a formação independentista vai concorrer sozinha às eleições da Catalunha em 21 de dezembro.

A decisão de apresentar uma candidatura “o mais ampla possível, claramente de rutura, independentista e de esquerda” foi aprovada com 64% dos votos.

Inicialmente votou-se sobre se o partido concorria ou não às eleições regionais, que a CUP considera “ilegítimas” por terem sido convocadas pelo Governo de Mariano Rajoy após a declaração unilateral de independência da Catalunha e a aplicação do artigo 155 da Constituição espanhola que retira a autonomia à região.

Mais de 90% dos participantes na Assembleia Nacional Extraordinária da formação votaram pela participação nas eleições.

Embora tenha decidido concorrer sozinha, a CUP admite que a sua lista possa integrar pessoas externas à formação, dado pretender ser “tão ampla quanto o possível”.

O Governo espanhol convocou eleições na Catalunha para 21 de dezembro, depois de ter decidido aplicar o artigo 155 da Constituição, que suspende a autonomia da região. O executivo regional foi destituído e o parlamento regional dissolvido.

As decisões do executivo de Mariano Rajoy, apoiadas pelo maior partido da oposição, os socialistas do PSOE, aconteceram depois de a declaração de independência da Catalunha ter sido aprovada em 27 de outubro por 70 dos 135 deputados do parlamento catalão. A votação decorreu sem a presença da oposição, que abandonou a assembleia regional.

Rajoy apelou hoje em Barcelona para que a “maioria silenciosa e silenciada converta a sua voz em voto” nas eleições regionais.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Governo

Catalunha em S. Bento

Luís Reis
353

O desprezo que o Governo vota à Economia, às empresas e empresários, é uma constante e tornou-se gritante. Não incentiva o investimento, não dá sinais positivos de estabilidade e ufana-se de migalhas.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site