Ministério Administração Interna

Ministro destaca aumento de investimento nas forças de segurança em 2018

Eduardo Cabrita realçou a "aposta significativa" do OE 2018 nas forças de segurança. O ministro da Administração Interna destacou o aumento de 60 milhões de euros no orçamento do ministério.

Eduardo Cabrita falou na abertura solene do ano académico 2017/18 do Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna

TIAGO PETINGA/LUSA

O ministro da Administração Interna disse esta terça-feira que o Orçamento do Estado para 2018 representa “uma aposta significativa” no investimento, infraestruturas, equipamentos e valorização das forças e serviços de segurança.

“O que queremos é uma Polícia cada vez melhor preparada, dotada, como em 2018 estará com um novo Orçamento do Estado, que representa uma significativa aposta no investimento, em infraestruturas, em estruturas de apoio ao exercício da atividade policial e formação”, disse aos jornalistas Eduardo Cabrita.

O ministro participou esta terça-feira na abertura solene do ano académico 2017/2018 do Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna.

No final da cerimónia, Eduardo Cabrita destacou o aumento de 60 milhões de euros no orçamento do Ministério da Administração Interna para 2018, que aposta sobretudo no investimento e na “plena aplicação” da Lei de Programação de Infraestruturas e Equipamentos das Forças e Serviços de Segurança.

Segundo o ministro, esta lei vai permitir passar de “um investimento médio de 12 milhões de euros por ano no período de 2012-2016 para 90 milhões de euros de investimento em 2018”.

Para Eduardo Cabrita, trata-se do “maior investimento desde há muito anos” em infraestruturas, equipamentos e viaturas.

Como exemplo, referiu “o maior concurso de sempre que acabou de ser lançado para aquisição de novas viaturas”.

O ministro afirmou que este orçamento aposta também na valorização profissional e na formação dos elementos policiais.

“Este é um Orçamento do Estado que aposta na valorização de todos aqueles que exercem funções públicas, com o descongelamento de promoções e de progressões, também nas forças e serviços de segurança”, sustentou.

Eduardo Cabrita adiantou que na próxima semana vai realizar reuniões com os sindicatos e outras estruturas representativas.

Sobre os recentes casos de agressões a elementos policiais, o ministro disse ainda que “seria demagógico pensar que jamais o risco desaparecia do exercício de funções policiais”, sublinhando que o Governo lamenta “veementemente todas as agressões a profissionais das forças de segurança”.

O Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna conta este ano com 167 novos alunos e cerca de um terço são mulheres, sendo o ano em que recebe o maior número de cadetes.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site