Guiné-Bissau

Novo Procurador-Geral da República guineense quer combater corrupção no país

Bacari Biai tomou posse esta terça-feira como Procurador-Geral da República guineense. O antigo diretor da Polícia Judiciária prometeu combater a corrupção no país.

Bacari Biai é licenciado em Direito e foi presidente do sindicato dos magistrados do Ministério Público

José Goulao/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O novo Procurador-Geral da República da Guiné-Bissau, Bacari Biai, disse esta terça-feira que vai combater a corrupção no país, “doa a quem doer”.

“Se há patologia que enferma a Guiné-Bissau é a corrupção. Tem de ser combatida. Doa a quem doer, a corrupção tem de ser combatida”, afirmou Bacari Biai.

O novo Procurador-Geral da República, que falava aos jornalistas após a cerimónia de tomada de posse na Presidência guineense, salientou também que vai colocar a sua capacidade e competência ao serviço da justiça da Guiné-Bissau.

Bacari Biai era até esta terça-feira o diretor da Polícia Judiciária guineense, cargo para que foi nomeado em fevereiro de 2017.

O novo Procurador-Geral da República guineense é licenciado em Direito e foi presidente do sindicato dos magistrados do Ministério Público.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Presidente Trump

As semelhanças entre Obama e Trump

João Marques de Almeida

A eleição de Trump foi a derrota das elites bem pensantes e do establishment dos media, que prefere escrever para os seus egos e os seus pares em vez de tentar entender o que se está a passar nos EUA.

Vladimir Putin

Síria: não há forma de lavar a hipocrisia 

José Milhazes

Lavrov apoiou a acção turca porque os ataques visam curdos e outras forças sírias apoiadas pelos EUA. Não é difícil imaginar o regozijo reinante no Kremlin face à luta entre parceiros da NATO na Síria

Presidente Trump

As semelhanças entre Obama e Trump

João Marques de Almeida

A eleição de Trump foi a derrota das elites bem pensantes e do establishment dos media, que prefere escrever para os seus egos e os seus pares em vez de tentar entender o que se está a passar nos EUA.

Vladimir Putin

Síria: não há forma de lavar a hipocrisia 

José Milhazes

Lavrov apoiou a acção turca porque os ataques visam curdos e outras forças sírias apoiadas pelos EUA. Não é difícil imaginar o regozijo reinante no Kremlin face à luta entre parceiros da NATO na Síria

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site