Fotografia

O taxista que antigiu a fama a fotografar dentro do carro

244

Ryan Weideman chegou a Nova Iorque nos anos 80. Queria ser fotógrafo, mas o sonho americano falhou e tornou-se taxista. Até que fez do carro um estúdio e passou 20 anos a fotografar os clientes.

Ryan Weideman

Quando chegou a Nova Iorque nos anos 80, Ryan Weideman tinha uma câmara fotográfica, um mestrado em Belas Artes pelo Colégio de Arte e Artesanato da Califórnia e um sonho americano por concretizar. Mas não eram os sonhos que lhe pagava as contas e, ao fim de um mês, Ryan Weideman percebeu que tinha de arranjar alternativas para ganhar dinheiro. “Conduzir um táxi não estava nos meus planos. Mas tinha de fazer algo para sobreviver. Tinha arrendado o típico apartamento para artistas. Um espaço pequeno, com apenas 18,5 metros quadrados, velho e com água fria. E tinha apenas 300 dólares na carteira”, recorda Ryan.

Deambulou pelas ruas nova iorquinas durante uma semana até que percebeu que o sonho americano podia estar mesmo dentro daquele táxi: “Tantas combinações interessantes e inusitadas de pessoas que transportava no meu táxi. Fotografá-las pareceu-me uma coisa que eu podia fazer. O banco traseiro do carro estava num estado de fluxo constante, repleto de pessoas interessantes que eram excitantes e inspiradoras, criando a sua própria atmosfera”.

Começou a fotografar a maior parte das pessoas que lhe passavam pelo banco de trás enquanto ganhava dinheiro para pagar o apartamento na West 43rd Street, ainda hoje vive. Nos momentos de fraqueza, lembrava-se de um vizinho taxista que desempanhava o trabalho com alegria. E pelo meio tirava “selfies” com os clientes ou fotografava-os às escondidas. Quando publicou as fotografias, ao fim de 20 anos a ser taxista, o sonho abraçou-o de braços abertos. E Ryan Weideman começou a expor as imagens no Brooklyn Museum, no Oakland Museum e no Art Institute of Chicago.

Veja as fotografias que fizeram de Ryan Weideman uma estrela na fotogaleria.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mlferreira@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site