Brasil

Polícia federal brasileira detém ex-chefe da Casa Civil do estado do Rio de Janeiro

A polícia federal brasileira deteve o ex-chefe da Casa Civil do Rio de Janeiro Régis Fichtner, acusado pelo Ministério Público Federal de receber 1,5 milhões de reais (391,6 mil euros) de suborno.

FERNANDO BIZERRA JR/EPA

Autor
  • Agência Lusa

A polícia federal brasileira deteve hoje o ex-chefe da Casa Civil do Rio de Janeiro Régis Fichtner, acusado pelo Ministério Público Federal de receber 1,5 milhões de reais (391,6 mil euros) de suborno.

De acordo com o jornal O Globo, Régis Fichtner era um dos “homens fortes” do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, preso em novembro do ano passado pela operação Lava Jato, que investiga um grande esquema de corrupção no Brasil.

A operação policial de hoje, que prendeu também o empresário Georges Sadala e outras pessoas e foi batizada como ‘C’est Fini’ (que em francês significa “é o fim”), é um desdobramento das investigações da Operação Calicute, que levou à detenção de Sérgio Cabral.

O nome da operação seria uma alusão ao fim da “Farra dos Guardanapos”, como ficou conhecido um jantar em Paris, no qual participaram ex-secretários do Estado do Rio de Janeiro, empresários e o ex-governador Sérgio Cabral. Em fotos tiradas durante o jantar, os convidados usavam guardanapos na cabeça.

Fichtner aparece em anotações feitas por Luiz Carlos Bezerra (um dos delatores na Operação Lava Jato), que indicavam as finanças da organização criminosa que seria liderada por Sérgio Cabral. As anotações foram apreendidas durante a Operação Calicute.

Régis Fichtner já acompanhava o ex-governador há muito tempo, desde que Cabral era presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, e foi seu suplente no Senado.

Segundo o Ministério Público, o ex-chefe da Casa Civil recebia os subornos no seu escritório de advocacia e também no Palácio da Guanabara, sede do governo estadual.

A prisão de Fichtner foi autorizada pelo juiz Marcelo Bretas, da 7.ª Vara Criminal do Rio de Janeiro.

Os agentes da polícia federal chegaram ao endereço de Fichtner, num condomínio de luxo na Barra da Tijuca, zona sul da cidade, por volta das 06:00 locais (08:00 em Lisboa).

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site