Conselho Europeu de Investigação

Quem são e o que estudam os oito investigadores que receberam mais de 16 milhões de euros

132

Oito investigadores a trabalhar em Portugal, entre os 329 seleccionados, vão receber 16 milhões de euros em bolsas do Conselho Europeu de Investigação. Conheça-os aqui.

Portugal recebeu 16 milhões de euros dos 630 milhões de euros distribuídos pelos Estados-membros da União Europeia e países associados

© Hugo Amaral/Observador

Oito investigadores de cinco centros de investigação portugueses vão receber 16 milhões de euros em bolsas de consolidação do Conselho Europeu de Investigação (ERC, na sigla em inglês). O ERC irá atribuir 329 bolsas no valor total de 630 milhões de euros.

Para saber mais sobre os investigadores em Portugal veja as fichas em baixo (clique nas setas para mudar de investigador).

O ERC recebeu 2.538 propostas, das quais 329 foram aprovadas, representando uma taxa de sucesso de 13%. A taxa de sucesso para os investigadores em Portugal foi superior à média e chegou aos 20% das candidaturas apresentadas. Dos 22 países que receberam bolsas, os três países com mais bolsas atribuídas foram: Reino Unido (60), Alemanha (56) e França (28).

A grande maioria das bolsas foi atribuída a investigadores masculinos, sendo apenas 32% das bolsas atribuídas a investigadoras. Uma tendência que Portugal também contraria como notou o comissário europeu para a Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas.

É com grande satisfação que vejo os mais recentes resultados dos investigadores portugueses nas bolsas do Conselho Europeu de Investigação”, disse Carlos Moedas, comissário europeu para a Investigação, Ciência e Inovação. “Fico ainda mais contente ao verificar que cinco deles são investigadoras.”

As bolsas de consolidação ERC são atribuídas a investigadores excecionais, de qualquer nacionalidade ou idade, que tenham entre sete a 12 anos de experiência após o doutoramento. Os investigadores têm de demonstrar que desenvolvem um trabalho científico promissor e o projeto tem de ser desenvolvido num dos Estados-membros da União Europeia ou países associados. As bolsas pretendem não só financiar o projeto, mas também permitem a contratação de investigadores e pessoal técnico. O ERC prevê a contratação de dois mil pós-doc, estudantes e doutoramento ou outro pessoal técnico durante os cinco anos de atribuição da bolsa.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: vnovais@observador.pt
Ciência

Emprego científico ou pirâmide insustentável?

José Ferreira Gomes
112

A contratação dos bolseiros pós-doc como o Governo propõe corresponde a um crescimento exponencial ilimitado de 13% ao ano, mas dizendo que não haverá mais recursos para as instituições científicas.

Brexit

Quem disse que sair da Europa era fácil?

Diana Soller

Esperemos que o executivo britânico se reorganize depressa. Ainda que o divórcio tenha tido até agora pouco de litigioso, uma das partes põe paus na engrenagem. E nas separações todo o cuidado é pouco

Crianças

Há Natais e Natais...

Rute Agulhas

Pais, mães, avós e restante família alargada. Deixemos as crianças viver a magia do Natal. Acreditar, mesmo que seja a fingir, no Pai Natal e nas renas, e na fábrica de brinquedos, e nos duendes.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site