Segurança

Portugal e França juntaram-se para perseguir condutores

2.010

Desde 1 de Dezembro que é igual, no que toca à condução, prevaricar em Portugal ou em França. Os dois países iniciaram uma cooperação que torna ainda mais comprido o já longo braço da lei.

Os condutores nacionais que pensavam que, uma vez a conduzir em França, se podiam entregar a alguns abusos, vão ter uma surpresa. E daquelas mais dispendiosas

Autor
  • Alfredo Lavrador

Se é um condutor português e acha que se fizer umas habilidades em França ninguém lhe toca, ou se é gaulês e pensa estar protegido das infracções que cometer no nosso país, está enganado. Pelo menos, desde o primeiro dia de Dezembro, altura que se iniciou o acordo de cooperação entre Portugal e França.

Destinado a perseguir os condutores estrangeiros que prevariquem no país vizinho, este acordo promete ser o terror dos mais distraídos, ou daqueles que, por estarem fora das suas fronteiras, acham que podem usar e abusar das regras, sem que nada lhes aconteça. Pois bem, não podiam andar mais longe da realidade.

Este ‘presente’ cai um pouco antes do Natal no sapatinho dos condutores de ambos os países, mas na realidade não é mais do que uma extensão a Portugal do acordo que França já tinha em vigor com Espanha, Alemanha, Polónia, Roménia, Itália, Luxemburgo, Áustria, Hungria, Eslováquia e República Checa. O novo acordo envolve especialmente as transgressões associadas aos excessos de velocidade e passagem pelos sinais vermelhos, como se estivessem verdes.

E se pensa que apenas uma meia dúzia de condutores prevaricam no país vizinho, está enganado. Só no espaço de 12 meses, entre Novembro de 2016 e Outubro de 2017, os polícias franceses detectaram 290.966 abusos de veículos com matrícula portuguesa em solo francês. E o mais grave é que destes, 244.000 ocorreram nos primeiros seis meses de 2017, ou seja, a tendência é para aumentar.

Não é conhecido o número de veículos franceses que abusam dos limites em Portugal, mas face ao elevado número de cidadãos que trocaram França pelo nosso país, em virtude da política fiscal gaulesa, que persegue ferozmente os mais ricos, e quase todos têm residência em Portugal e se fazem deslocar em veículos de matrícula nacional, é bem provável que o número de prevaricadores – pelo menos, com matrícula francesa – seja consideravelmente inferior. Ainda assim, ninguém se vai safar da multa que, invariavelmente, chega pelo correio.

Comparador de carros novos

Compare até quatro, de entre todos os carros disponíveis no mercado, lado a lado.

Comparador de carros novosExperimentar agora
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Brexit

Quem disse que sair da Europa era fácil?

Diana Soller

Esperemos que o executivo britânico se reorganize depressa. Ainda que o divórcio tenha tido até agora pouco de litigioso, uma das partes põe paus na engrenagem. E nas separações todo o cuidado é pouco

Crianças

Há Natais e Natais...

Rute Agulhas

Pais, mães, avós e restante família alargada. Deixemos as crianças viver a magia do Natal. Acreditar, mesmo que seja a fingir, no Pai Natal e nas renas, e na fábrica de brinquedos, e nos duendes.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site