Bitcoin

Gémeos rivais de Mark Zuckerberg, os primeiros multimilionários da bitcoin

Os gémeos norte-americanos Tyler e Cameron Winklevoss, que acusaram Mark Zuckerberg de lhes ter roubado a ideia para o Facebook, passaram a barreira dos mil milhões de dólares em moeda virtual.

Getty Images for The Mark Hotel

Os gémeos norte-americanos Tyler e Cameron Winklevoss, conhecidos por terem movido um processo contra Mark Zuckerberg acusando-o de lhes ter roubado a ideia para a criação do Facebook, tornaram-se esta semana os primeiros multimilionários (no inglês billionaire, quem tem mais de mil milhões de dólares) publicamente conhecidos a conquistar a sua fortuna em Bitcoins.

A moeda virtual tem vindo a valorizar cada vez mais e esta quarta-feira passou pela primeira vez a barreira dos 12 mil dólares cada moeda (cerca de 10.170 euros), permitindo aos dois irmãos fazer com que a sua fortuna, de 90 mil moedas de Bitcoin, ultrapasse já os 1.080 milhões de dólares.

Tyler e Cameron estiveram envolvidos numa polémica contra Mark Zuckerberg, depois de acusarem o fundador do Facebook de lhes ter roubado a ideia para a rede social, quando eram estudantes em Harvard. Em 2008, chegaram a um acordo com Zuckerberg, segundo o qual o criador da rede social lhes pagou 65 milhões de dólares para resolver o assunto fora dos tribunais.

Os gémeos ainda levaram o acordo a tribunal, por considerarem que o valor deveria ser superior, mas os juízes acabaram por validar o primeiro acordo. A história da criação do Facebook e das contendas entre Zuckerberg e os dois irmãos foi contada no filme A Rede Social de David Fincher.

Contudo, quando o Facebook entrou para a bolsa de Wall Street, os títulos que tinham sido atribuídos aos gémeos, inicialmente no valor de 65 milhões de dólares, já valiam 228 milhões. Tyler e Cameron pegaram nesse valor e colocaram-no num fundo que utilizam para negociar em Bitcoins, tendo até criado uma bolsa própria para transações em moeda virtual.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site