Terrorismo

YouTube eliminou 150.000 vídeos de conteúdo terrorista nos primeiros seis meses do ano

O Twitter, por sua vez, apagou 300.000 contas. No entanto, e sobretudo no Facebook, estes conteúdos são eliminados antes mesmo de serem denunciados por utilizadores.

AHMAD AL-RUBAYE/AFP/Getty Images

A informação foi divulgada pela Comissão Europeia e preocupa: há milhares de vídeos (ou publicações escritas) de conteúdo terrorista a circular todos os meses nas principais redes sociais. Entre janeiro e junho desde ano, por exemplo, o YouTube eliminou 150.000 vídeos. O Twitter, por sua vez, apagou 300.000 contas.

A Comissão Europeia explica que as empresas de tecnologia têm conseguido, nos últimos tempos, detetar estes vídeos, contas, ou outras publicações mais cedo que o faziam antes. No Twitter, 75% das contas eliminadas nos primeiros seis meses do ano, foram-no antes mesmo de qualquer publicação ser feita. Quanto ao YouTube, dos vídeos eliminados em igual período, a esmagadora maioria (98%) foram detetados com brevidade, não por denúncia de outros utilizadores mas, sim, porque foi desenvolvido um algoritmo que auxilia no reconhecimento de conteúdo terrorista.

Também no Facebook, por exemplo, 99% do conteúdo terrorista publicado – e que tem quase sempre ligação ao Daesh ou à Al Qaeda – foi eliminado antes mesmo de ser denunciado por utilizadores. Mais, explica a Comissão Europeia, e ainda relativamente ao Facebook, a maioria dos conteúdos desta natureza (83%) publicados em murais ou caixas de comentários são eliminados menos de uma hora após a sua deteção.

A informação divulgada pela Comissão Europeia resulta do trabalho do EU Internet Forum — um grupo de trabalho criado em dezembro de 2015 pelo comissário para a Migração, Assuntos Internos e Cidadania, Dimitris Avramopoulos. Objetivo? Trabalhar com os ministros com os ministros da Administração Interna dos Estados Membros e as grandes empresas de Internet, desenvolvendo novas ferramentas para impedir o uso indevido da Internet por parte de grupos terroristas.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: tpalma@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site