IPSS

Raríssimas. Presidente Paula Brito e Costa já apresentou demissão

O presidente da Assembleia Geral, Paulo Olavo Cunha, recebeu esta quinta-feira o pedido de demissão. A responsável pela delegação de Viseu já pediu a convocação de uma Assembleia Extraordinária.

A presidente da Raríssimas, Paula Brito e Costa, criou a associação em 2002

MÁRIO CRUZ/LUSA

O presidente da Assembleia Geral da Associação Raríssimas já recebeu o pedido de demissão de Paula Brito e Costa esta manhã de quinta-feira, soube o Observador. A data da próxima Assembleia Geral deverá ser conhecida ainda hoje.

O também advogado Paulo Olavo Cunha, que é presidente daquele órgão sem receber qualquer remuneração por isso, aguarda agora que os restantes membros da direção solicitem a convocação de uma Assembleia Geral para poder “proceder à designação dos membros dos órgãos sociais em falta, até ao final do mandato em curso (2016-2019)”, disse o responsável ao Observador.

Caso, até ao final desta quinta-feira, os elementos da direção não o solicitem, será o presidente da Assembleia a convocar diretamente a Assembleia Geral da associação para esse efeito.

O pedido para a realização de uma assembleia extraordinária já foi, entretanto, feito pela responsável da delegação de Viseu, Marta Balula — que já tinha pedido a convocação de uma reunião para destituir a presidente, mas cujo pedido foi indeferido.

Segundo os estatutos da Raríssimas — Associação Nacional de Deficiências Mentais e Raras, a direção é composta por nove membros: um presidente, um vice, um tesoureiro, um secretário e cinco vogais. A presidente demitiu-se e o lugar de vice-presidente foi recusado pelo deputado social democrata Ricardo Batista Leite depois da notícia da TVI, que dava conta de alegadas irregularidades nas contas da instituição. O cargo de tesoureiro é ocupado há cerca dois meses por Nuno Peixoto Branco, que na quarta-feira deu a cara pela instituição. Foi ele que foi substituir o tesoureiro Ricardo Chaves, um dos que denunciou as alegadas irregularidades.

(Artigo atualizado com a convocatória da Assembleia Geral Extraordinária)

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: ssimoes@observador.pt
Alimentação

A gula do sr. ministro

José Miguel Pinto dos Santos

Se a “alimentação saudável” é objetivo prioritário do Estado, porque é a medida restrita aos hospitais? Porque não proporcionar as suas vantagens também a todo o funcionalismo público e aos deputados?

Debate

Desimportantizar os caraoqueiros

Paulo Tunhas

O pensamento-karaoke funciona como obstáculo a que se procure entender o que se passa à nossa volta. Os caraoqueiros estão-se, de resto, nas tintas. Só querem caraocar mais alto do que os outros.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site