Algarve

Turistas portugueses ajudam Algarve a ter 1,8 milhões de dormidas em outubro

Os turistas portugueses contribuíram de forma intensa para as 400 mil visitas e 1,8 milhões de dormidas que o Algarve recebeu em outubro. O lucro do turismo da região até outubro é de 982 milhões.

LUIS FORRA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O mercado de turistas portugueses contribuiu de forma “acentuada” para a hotelaria do Algarve ter recebido 400 mil hóspedes em outubro e chegado a 1,8 milhões de dormidas, congratulou-se esta quinta-feira o Turismo do Algarve.

Estes números representaram uma subida homóloga de 5,5%, no caso do número de hóspedes, e de 4,8%, no de dormidas, salientou o Turismo do Algarve num comunicado, referindo-se aos dados divulgados esta quinta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) relativos à atividade turística regional em outubro.

“As dormidas do mercado interno indicam uma subida acentuada, de 17,8%, enquanto as dormidas dos mercados externos registam um aumento mais moderado, de 3,3%”, frisou a mesma fonte, que também destacou “o crescimento dos proveitos totais em 11,2%, para 84,7 milhões de euros”.

Estes dados permitiram aos hotéis do Algarve receber, nos primeiros 10 meses do ano, “um total de 3,8 milhões de hóspedes (+4,9% do que em 2016)”, ter “17,9 milhões de dormidas (+5,4%)” e conseguir “proveitos totais que ascendem aos 982,8 milhões de euros (+13,3%)”.

A região consegue de novo registos de destaque em 2017, depois de, em outubro, também ter sido “anunciado pela Algarve Golfe uma cifra nunca antes alcançada nos campos algarvios, acima das 170 mil voltas de golfe”, valor 6% acima do obtido no ano anterior e contribuiu para, de janeiro a outubro, se ter registado “1,17 milhões de voltas de golfe acumuladas na região”, observou o organismo.

“Já o Aeroporto de Faro movimentou em outubro mais 8,5% de passageiros e acumula um crescimento de 15,4% nos dez primeiros meses do ano”, sublinhou.

O presidente da Região de Turismo do Algarve, Desidério Silva, considerou que os números da região mostram “o bom momento do destino”, que teve “um peso de 33,5% no contexto nacional” das dormidas em Portugal.

“[O mercado interno] Cresceu como há muito já não se via e muito acima dos mercados externos”, comentou Desidério Silva, antevendo a possibilidade de “vir aí mais um ano recorde, fruto do excelente trabalho que os parceiros privados e públicos do setor estão a desenvolver no destino” turístico Algarve.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site