Assédio Sexual

Matt Damon voltou a falar sobre assédio. E lamenta que ninguém fale dos homens que não são predadores

272

Após defender que "uma palmada no rabo e uma violação são coisas diferentes", Matt Damon voltou a falar sobre assédio sexual. O ator lamenta que não se fale dos homens que não são predadores.

Depois da polémica, o ator voltou ao assunto

AFP/Getty Images

Matt Damon voltou a falar sobre assédio sexual. E voltou a ser polémico. Depois de defender que “uma palmada no rabo e uma violação são coisas diferentes”, o ator lamenta agora que ninguém fale sobre os homens que não são predadores e não têm comportamentos sexuais inapropriados.

Em entrevista à Business Insider, para promover o novo filme “Downsizing”, Damon garantiu que a maioria dos homens com quem trabalhou não tem comportamentos desadequados e relembrou a importância de falar sobre aqueles que não agem incorretamente.

Estamos neste momento de divisão e isso é ótimo, mas eu acho que uma coisa que não está a ser falada é que existem imensos homens – a preponderância dos homens com quem trabalhei – que não fazem nada disto e cujas vidas não vão ser afetadas”, afirmou o protagonista de “O Bom Rebelde”.

Questionado sobre se dividiria um set com alguém que é um confesso predador, Matt Damon não é radical. “Sempre pensei nisso, quer dizer, eu não iria querer trabalhar com alguém que… a vida é demasiado curta para isso”, explicou o ator, ressalvando que “a questão é que, se existissem alegações contra alguém, seria numa base de caso a caso. Tu pensas ‘qual é a história aqui?'”.

Matt Damon viu-se recentemente envolvido numa polémica com as atrizes Minnie Driver e Alyssa Milano, depois de ter dito em entrevista à ABC que “vamos ter de nos corrigir para percebermos que ninguém é perfeito”. Minnie Driver, que chegou a ser namorada do ator há uns anos, afirmou que “os homens simplesmente não compreendem o que é ser vítima de abuso numa base diária”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Alimentação

A gula do sr. ministro

José Miguel Pinto dos Santos

Se a “alimentação saudável” é objetivo prioritário do Estado, porque é a medida restrita aos hospitais? Porque não proporcionar as suas vantagens também a todo o funcionalismo público e aos deputados?

Debate

Desimportantizar os caraoqueiros

Paulo Tunhas

O pensamento-karaoke funciona como obstáculo a que se procure entender o que se passa à nossa volta. Os caraoqueiros estão-se, de resto, nas tintas. Só querem caraocar mais alto do que os outros.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site