Fundação Calouste Gulbenkian

Janeiro é mês de piano na Gulbenkian, com sete concertos e a integral de “Vexations”

A interpretação integral de "Vexations", de Erik Satie, pela pianista Joana Gama, ao longo de 14 horas, domina uma programação paralela deste ciclo, "Pianomania".

Torstein Boe/EPA

Sete concertos, com os pianistas Menahem Pressler, Mitsuko Uchida, Elisabeth Leonskaja, Beatrice Rana, Yuja Wang, Daniil Trifonov, Mário Laginha e Pedro Burmester, fazem do piano o protagonista da Temporada de Música Gulbenkian, durante o mês de janeiro.

A interpretação integral de “Vexations”, de Erik Satie, pela pianista Joana Gama, ao longo de 14 horas, domina uma programação paralela deste ciclo, “Pianomania”, que também inclui a exibição de documentários sobre Glenn Gould e a sobrevivente do regime de Mao Tsé Tung, na China, Zhu Xiao-Mei.

O veterano Menahem Pressler, fundador do Trio Beaux Arts, abre a programação, nos dias 12 e 13, com o Concerto para piano e orquestra em Lá maior, K.488, de Mozart, enquanto Yuja Wang a encerra, duas semanas mais tarde, com o 4.º e último Concerto para piano e orquestra, de Sergei Rachmaninov, nos dias 25 e 26 de janeiro.

Mário Laginha e Pedro Burmester, no dia 14, apresentam um novo programa, que vão levar a outras salas de concerto durante o ano, passando pela Casa da Música, no Porto, a 3 de fevereiro.

“Concerto para Dois Pianos”, de Mário Laginha, “Balada, n.º1, op. 23”, de Chopin, na sua abordagem clássica e na versão de Laginha, “Grande Tango”, de Piazzolla, “Prélude à l’aprés-midi d’un faune”, de Debussy, e “La valse”, de Ravel, formam o novo programa dos dois pianistas, que há mais de 20 anos gravaram o álbum “Duetos” (1994) e, em 2007, concretizaram o projeto “Três Pianos”, com Bernardo Sassetti.

No dia 16 de janeiro, atua Elisabeth Leonskaja, pianista premiada em particular pelas suas interpretações de Beethoven, Schubert e Schumann. Em Lisboa, interpreta as três últimas Sonatas para piano de Beethoven – as Sonatas n.º 30, op.109, n.º 31, op. 110, e n.º 32, op. 111.

A pianista Mitsuko Uchida, responsável pelos cursos de verão do Marlboro Music Festival, nos Estados Unidos, premiada em Varsóvia e em Leeds, vencedora do Prémio Beethoven, está lado a lado com Leonskaja entre os intérpretes mais distinguidos das últimas décadas. No dia 21, apresenta um programa dedicado a Franz Schubert, compositor em que se destacou.

Entre as datas das duas pianistas, verifica-se o regresso de Daniil Trifonov a Lisboa, para interpretar o Concerto para piano de Robert Schumann, nos dias 19 e 20 de janeiro.

Nos últimos anos, Trifonov foi primeiro prémio do Concurso Tchaikovsky, em Moscovo, vencedor do prémio Arthur Rubinstein, em Telavive, distinguido em duas edições sucessivas do Concurso Chopin de Varsóvia.

Beatrice Rana, revelação do Concurso Van Cliburn 2013, entrou na rota das salas de concerto com gravações de Prokofiev e Tchaikovsky. Em Lisboa interpreta Schumann (Estudos Sinfónicos, op. 13), Ravel (“Mirroirs”) e Stravinsky (Suite de “O Pássaro de Fogo”).

A programação complementar da “Pianomania” decorre de 13 a 22 de janeiro e abre com o filme “Thirty-Two Short Films About Glenn Gould”, de François Girard, perspetiva do pianista canadiano, sobre a estrutura da obra que o celebrizou: as duas árias e as 30 “Variações Goldberg”, de Bach.

No dia seguinte, 14, a pianista portuguesa Joana Gama inicia, às 10:00, a interpretação integral de “Vexations”, de Satie, que se estenderá até à meia-noite. A estreia da obra só foi possível em 1963, por iniciativa do compositor John Cage.

O dia 21 é dedicado à pianista Zhu Xiao-Mei, sobrevivente de campos de trabalho e de “reeducação”, na China de Mao Tsé Tung, que superou através da música de Bach, até conseguir exilar-se em França, em 1980.

A Gulbenkian exibe os documentários “Zhu Xiao-Mei: How Bach Defeated Mao” e “Goldberg Variations por Zhu Xiao-Mei”, ambos de Paul Smaczny. Entre os dois filmes, haverá uma conversa com Michel Mollard, amigo de Zhu.

A exibição dos filmes “O Pianista”, de Roman Polanski, no dia 15, e “O Piano”, da Jane Campion, no dia 22, completam a programação paralela.

De fevereiro a junho, o piano continua em destaque na Gulbenkian com Evgeni Kissin (16 de fevereiro), as irmãs Katia e Marielle Labèque (21 de fevereiro), Nikolai Lugansky (1 de março), Martha Argerich e Lilya Zilberstein (3 de março), Lang Lang (14 de março), András Schiff (19 de março), Grigory Sokolov (8 de abril), Pierre-Laurent Aimard e Tamara Stefanovich (14 de abril) e Radu Lupu (5 de maio).

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site