Compras

Essenciais vs tendências. Aproveite os saldos para ter o melhor dos dois mundos

É o eterno dilema dos saldos: investir em peças básicas e intemporais ou alinhar o guarda-roupa com as tendências da estação? Na dúvida, damos-lhe os dois. São 50 peças para comprar nos saldos.

Em época de saldos, existem dois tipos de pessoas: as que fazem investidas cirúrgicas às lojas e aproveitam as promoções para comprar peças de design intemporal e escolher cores neutras e materiais mais duradouros e as que não perdem a oportunidade de comprar a preços inferiores as peças da estação que, com sorte, escorregam diretamente para a temporada seguinte. As primeiras perdem o lado mais divertido, se bem que efémero, da moda. As segundas estão condenadas a ter de alimentar um armário com elevados níveis de rotatividade.

Poderá haver lugar para as duas modalidades? Sempre. É uma questão de definir o orçamento, ter as peças já debaixo de olho e programar a ida (ou as idas) às compras para o início dos saldos, só para não sofrer nenhum desgosto. Subscrever newsletters das marcas e ir espreitando as lojas online ajudam no planeamento. Ter sempre em mente o quanto se valoriza uma determinada peça também é meio caminho andado para manter os pés assentes na terra.

Estas peças são como aquelas pilhas: duram, duram, duram…

Uma coisa é certa: se está disposto a dar mais dinheiro por uma peça de roupa ou por um acessório de design mais limpo e intemporal, é obrigatória ter uma atenção redobrada aos materiais. Há quem aproveite os saldos para comprar aquela camisola de (ou com) caxemira que, apesar de sair sempre mais cara, compensa pela durabilidade e, claro, pelo toque do outro mundo. As malhas são o melhor exemplo de como convém olhar para as composições das peças, a não ser que faça gosto em carregar uma família de borbotos que se reproduz a toda a velocidade. As lãs de alpaca, merino e mohair estão entre as melhores. Perceba também através do toque, quanto mais sintético lhe parecer mais rapidamente o bom aspeto da peça de vai degradar.

Um clássico intemporal: sobretudo com lã Uterqüe 149€ (era 229€)

Sobretudos, grandes, quentes, com cortes simples e cores neutras, estão acima de qualquer tendência. Na era do oversize, opte pelo meio termo, nada muito largo nem muito cintado. Escolha os tons mais neutros, assim um mesmo casaco pode aquecê-lo todos os dias, independentemente do que tem vestido por baixo. O mesmo serve para os trench coats ou gabardines, embora o corte cintado nestes casacos seja a modos que obrigatório. Só o caso das calças de ganga é que é cheio de especificidades. A poucas peças que exijam tanto veste e despe antes de consumar a compra e se tivermos de dar palpite no que toca a tendências, o melhor é mesmo deixar as skinny jeans para atrás e abraçar as bootcut de uma vez por todas.

No caso de malas e sapatos, certifique de que são feitos em pele e não imitações que embaratecem as peças, mas também diminuem a sua longevidade. Umas botas ou uns botins pretos são um ótimo desafio para uma incursão as saldos. Se o que procura é algo para durar, opte, mais uma vez, por desenhos simples que, no limite, possam sair à rua todos os dias.

Estas são as peças do momento. E amanhã?

Quem é que nunca quis comprar um casaco de pelo sintético azul elétrico às bolinhas vermelhas com punhos em renda e colarinhos cobertos de glitter? Mas há quase sempre um fator dissuasor: pensar no quão datadas certas peças são e questionar durante quanto irá ter vontade de exibí-las orgulhosamente na rua. O segredo é, dentro do campeonato das peças especiais, tentar antever as tendências das estações seguintes e assim evitar gastar dinheiro em roupa e acessórios já próximos do fim da linha.

As botas de lycra marcaram 2017 (cortesia da Balenciaga). Estas são da Mango e custam 29,99€, menos 10€ do que o preço original

Olhando para os atuais saldos, há várias que saltam à vista. O vermelho é uma delas. Depois de a cor ter explodido no início do outono, sobretudo em peças substanciais como casacões e vestidos, parece que continua a haver luz verde para vestir encarnado da cabeça aos pés. As flores, que inundaram tudo quanto é loja durante este ano, vão continuar viçosas em 2018 e com doses redobradas de romantismo. O mesmo se pode dizer dos sobretudos statement, seja pelos padrões fortes ou pelas cores garridas, dos sapatos e botas cintilantes, se bem que nos ténis, a artilharia pesada também está de volta, e do cheiro a western que já andou no ar durante este inverno.

Ao mesmo tempo, há peças que só em 2018 se vão afirmar em pleno. Falamos das mini bags (malas iguaizinhas às das nossas mães mas em miniatura), das calças cargo que preparam um regresso em grande e dos outifits inspirados no motociclismo.

Na fotogaleria, escolhemos 50 peças (25 essenciais e 25 tendências) com descontos que valem a pena. É possível que algumas fiquem rapidamente indisponíveis. Os saldos são uma correria, apresse-se.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mgoncalves@observador.pt
Crónica

Meus pais e seus aparelhos eletrônicos

Ruth Manus

Parece que todos os aparelhos eletrônicos que os meus pais compram foram vítimas de algum tipo de maldição que tornou seu funcionamento algo absolutamente anormal. 

Pobreza

Em nome dos filhos

Diogo Prates

Esta é a oportunidade da direita portuguesa, conseguir com um discurso simples mas eficaz apagar de vez a imagem de que a esquerda é a única que se preocupa com os mais pobres e desfavorecidos. Não é.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site