Futebol

PJ estará a investigar mais jogos do Benfica, águias falam em campanha contra o clube

397

A notícia caiu como uma bomba esta sexta-feira e já teve desenvolvimentos este sábado: Benfica nega tudo e promete agir em conformidade, RTP avança com mais quatro jogos sob investigação.

Rio Ave-Benfica da temporada de 2015/16 poderá não ser o único jogo investigado pela Polícia Judiciária

AFP/Getty Images

A notícia caiu que nem uma bomba na noite desta sexta-feira: de acordo com o Correio da Manhã, a Polícia Judiciária estará a investigar o Rio Ave-Benfica de 2015/16 (vitória dos encarnados por 1-0 com golo de Raúl Jiménez) por suspeitas de viciação de resultados. A investigação terá começado no Porto mas terá passado para Lisboa por decisão de um magistrado do Ministério Público, que entendeu estar ligada a outra que estará a ser feita pela Unidade de Combate ao Crime Económico e Financeiro da PJ tendo o Benfica como alvo.

Tudo terá começado durante a investigação às suspeitas de viciação de resultados no Feirense-Rio Ave da última temporada, que terá constituído como arguidos Cássio, Nadjack, Roderick Miranda e Marcelo (também a este nível, o Correio da Manhã diz que existirá indicações para o arquivamento deste processo). Neste novo caso, os mesmos quatro jogadores aparecem numa denúncia que defende que o Benfica terá utilizado empresários para pagar ou tentar pagar para facilitarem o triunfo dos encarnados. Logo aqui, existe um ponto mal contado: Nadjack não estava em Vila do Conde e Roderick Miranda não jogou por cumprir castigo.

Ainda na noite desta sexta-feira, Francisco J. Marques, diretor de comunicação do FC Porto, comentou a notícia no Twitter, com um lacónico “O melhor estava para vir…”, tendo por contexto as denúncias que os dragões têm vindo a fazer nos últimos meses contra o Benfica. Da parte dos encarnados, fonte oficial do clube garantiu o total desconhecimento do caso, ao mesmo tempo que mostrou confiança na justiça e no seu trabalho.

Este sábado, o jornal O Jogo avança que a investigação da Polícia Judiciária em curso terá um âmbito maior e inclui, pelo menos, dois jogos com outras duas equipas da Primeira Liga e pagamentos e tentativas de aliciamento a vários outros jogadores. Segundo a publicação, os telemóveis apreendidos a Nadjack e Roderick já terão sido restituídos aos mesmos, ao contrário dos aparelhos de Cássio e Marcelo. “Os indícios de outro jogo eventualmente desvirtuado foram encontrados nos telefones destes últimos”, escreve O Jogo.

A RTP especifica que serão mais quatro jogos que estarão a ser investigados pela PJ, todos relativos a essa temporada de 2015/16 em que o Benfica se sagrou campeão com 88 pontos, mais dois do que o Sporting.

Ao final da manhã, o Benfica lançou um comunicado no site oficial com o título “Denúncia anónima desmentida pelos próprios factos”, destacando o totalmente desconhecimento da existência deste processo no Rio Ave-Benfica. “O Benfica nega qualquer envolvimento do clube nesta situação e garante que todos os responsáveis pela promoção e divulgação desta calúnia serão responsabilizados criminalmente”, assegura.

“Basta uma investigação mais cuidada para se provar a falsidade desta denúncia tendo em conta que, dos quatro jogadores invocados, um encontrava-se em Espanha [n.d.r. Nadjack, no Reus], outro não foi convocado (estava castigado por acumulação de cartões amarelos) [n.d.r. Roderick Miranda] e os outros dois foram curiosamente apontados pela generalidade da crítica como dos melhores em campo por parte do Rio Ave [n.d.r. Cássio e Marcelo]”, acrescentam os encarnados, recuperando o encontro em causa da temporada de 2015/16.

“Esta notícia insere-se numa vasta campanha que foi montada de forma a levantar suspeitas, denegrir a imagem do Benfica e o mérito das suas vitórias desportivas, de uma forma até um pouco tosca, em que os próprios factos e envolvidos são criados mesmo que nem estivessem a jogar nos clubes adversários e essas histórias antecipadas nas redes sociais associadas a clubes rivais, provando a origem destas denúncias anónimas”, prossegue, deixando de novo um “aviso” mais global tocando também noutros casos como o dos emails: “Podem estar certos que, uma a uma, todas estas situações terão uma forte resposta por parte do Benfica, que irá até às últimas consequências para desmontar toda esta campanha de cabalas e responsabilizar os seus autores”.

Também a Liga emitiu um comunicado sobre o assunto, mostrando total confiança em Rio Ave e Benfica. “Este e qualquer processo judicial está em segredo de justiça, o que leva a Liga a ter que aguardar pelo desenrolar e conclusão do mesmo. Por este motivo, e como é óbvio, a Liga não se intromete, colocando-se à disposição para eventuais esclarecimentos ou ajudas que os mesmos entendam ser necessários”, sublinha, prosseguindo: “A Liga reitera total confiança nas Instituições e nas Sociedades Desportivas, nomeadamente no Rio Ave e neste caso também no Benfica, sempre consciente de que a integridade é um dos valores fundamentais para as competições profissionais. E da qual não abdicará”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site