Futebol

“Fui abençoado com o talento e trabalhei para tirar o melhor dele”, destaca Ronaldo

2.537

Ronaldo descreve 2017 como "um ano incrível" e recorda que tudo começou a dar uns pontapés nas ruas da Madeira. Por isso, não esquece quem apostou nele quando era um miúdo cheio de sonhos.

Cristiano Ronaldo na Madeira com 15 dos troféus individuais que foi ganhando ao longo dos anos

D.R. Twitter

São cinco Bolas de Ouro, quatro Botas de Ouro, três prémios de Melhor Jogador do Ano da UEFA, dois prémios The Best e um FIFA World Player. 15 anos depois da estreia como sénior, no Sporting, Cristiano Ronaldo pousou com 15 troféus individuais que se juntam a muitos outros coletivos por Manchester United e Real Madrid num ano onde foi pela quinta vez o melhor do mundo e ganhou cinco competições: Campeonato, Liga dos Campeões, Mundial de Clubes, Supertaça Europeia e Supertaça de Espanha. “2017 foi um ano incrível a vários níveis”, diz.

Em declarações que fazem a capa do jornal As, o avançado português destaca mais um ano proveitoso na carreira e, na ilha que o viu nascer, faz uma retrospetiva do trajeto desde o ponto em que se tudo começou. “É uma sensação tremenda olhar para trás e ver o que consegui alcançar começando a dar uns pontapés numa bola pelas ruas da Madeira”, frisa, prosseguindo: “Fui abençoado com o talento e trabalhei no duro para tirar o melhor dele, mas não teria alcançado nada sem a colaboração de muita gente que me ajudou em termos profissionais”.

“Quero dedicar este momento à minha família, que esteve sempre comigo nos bons e nos maus momentos, aos meus amigos, sem esquecer aqueles que acreditaram em mim quando era só um miúdo cheio de sonhos, e aos meus treinadores e companheiros, da minha equipa e da Seleção”, reforça, antes de deixar também uma palavra aos 300 milhões de seguidores entre Twitter, Facebook e Instagram: “Um agradecimento muito especial para eles, pelo seu apoio e inspiração para continuar a trabalhar e esforçar-me ao máximo em cada objetivo que enfrento”.

Recorde-se que, no final do ano, voltou a falar-se muito sobre a possibilidade de Cristiano Ronaldo poder sair no próximo verão, com a mesma pertinência com que se vão fazendo notícias sobre uma possível renovação de contrato com a respetiva revisão salarial no seguimento dos novos vínculos de Neymar ao PSG e de Messi com o Barcelona. A esse propósito, o As recorda as declarações do capitão português após a final do Mundial de Clubes com o Grémio, decidida com um golo seu de livre direto. “Se fosse possível, gostaria de retirar-me no Real Madrid mas não depende de mim, porque não sou eu que mando no clube. Logo veremos. Eu falo em campo e aí disse tudo o que tinha para dizer. Não posso fazer mais do que faço, as pessoas podem dizer o que quiserem”, atirou.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site