Inteligência Artificial

Inteligência artificial. Sistema cria imagens tão reais que não vai acreditar que são falsas

A empresa americana de tecnologia Nvidia criou um sistema que analisou imagens de celebridades, reconheceu os padrões comuns e criou novas imagens que poucos acreditariam não serem de pessoas reais.

AFP/Getty Images

Numa altura em que tanto se fala de ‘fake news’, parece que chegaram agora as ‘fake images’. Uma equipa da Nvidia, uma empresa de tecnologia norte-americana, desenvolveu num laboratório na Finlândia um sistema que permite criar imagens tão reais que muitos terão dificuldade em perceber que são criadas por um computador e que não existem na realidade.

Como é que fizeram isso? Segundo o jornal americano The New York Times, os investigadores criaram um sistema de inteligência artificial que analisa imagens, reconhece padrões comuns e cria novas imagens a partir desses mesmos padrões. A Nvidia fez isso com imagens de celebridades, mas o sistema pode ser aplicados a animais, plantas e objetos.

O objetivo a longo prazo é permitir a criação imagens suficientemente realistas para jogos, filmes, ou outros meios, de forma mais rápida do que acontece hoje — chega-se a demorar horas ou até dias.

Os investigadores na Nvidia acreditam que, no futuro, além de criarem imagens cada vez mais complexas, poderão conseguir passá-las para 3-D. “Acho que poderemos ir mais longe, ao gerar não só fotografias mas também imagens em 3-D que possa ser usadas em jogos de computador e filmes”, afirmou um dos investigadores, Jaakko Lehtinen.

Atualmente, estas imagens feitas do zero são criadas através de programas como o Photoshop. No entanto, graças a este programa da Nvidia, é cada vez mais fácil uma máquina criar estas imagens do nada e de uma forma mais realista: “Hoje temos um modelo que consegue gerar caras que são mais diversificadas e, de alguma forma, mais realistas do que quando são feitas num programa à mão”, afirmou Durk Kingma, investigador num laboratório de inteligência artificial criado por Elon Musk, da Tesla, sobre o sistema da Nvidia.

Mas também é preciso olhar para o ‘lado negro’ deste tipo de tecnologia. “A preocupação é que estas técnicas [de criação de imagens] cresçam ao ponto de se tornar muito difícil distinguir o que é verdadeiro do que é falso”, afirmou Tim Hwang, diretor da Ethics and Governance of Artificial Intelligence Fund.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rporto@observador.pt
Global Shapers

Ética artificial

João Romão

Discutir conceitos de ética para máquinas é mais fácil que aplicá-los. Não tenhamos dúvidas: um carro autónomo terá ética - resta saber de quem.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site