Globos de Ouro

Globos de Ouro. O discreto pin que marcou o protesto da noite

Um pequeno pin, usado na lapela dos casacos dos homens, foi mais uma forma de protesto contra o assédio sexual. "Time's up" também brilhou no palco dos Globos de Ouro.

Esqueçam por momentos as joias desenhadas pelas principais marcas do mundo, as estrelas cintilantes a prenderem os cabelos ondulados das artistas, as ‘clutches’ decoradas com pedras preciosas e demais acessórios que costumam dividir atenções com os vestidos e fatos que desfilam na passadeira. Na última noite, na cerimónia dos Globos de Ouro, o acessório que concentrou todas as atenções foi um pequeno pin que se podia ver nas lapelas mais lustrosas dos fatos masculinos. Em todos, a mesma mensagem: “Time’s Up”, qualquer coisa como “o tempo acabou”.

A mensagem é um dos lemas da campanha contra o assédio sexual, que tem exposto uma série de casos envolvendo produtores, realizadores e atores de cinema e televisão, e que motivou o ato de protesto de várias mulheres (e homens também) que compareceram na cerimónia vestidos de negro. Ou, como resumiu a atriz e apresentadora Oprah Winfrey no discurso que marcou a noite, o tempo dos “homens brutalmente poderosos” chegou ao fim, “o tempo deles chegou ao fim”.

O pequeno pin, em tons de branco e preto, tornou-se assim num acessório-símbolo da noite. A atriz Reese Whiterspoon –uma das principais promotoras do movimento de que também fazem parte Shonda Rhimes, Emma Stone e outras estrelas de Hollywood –, escolheu Arianne Phillips para desenhar o acessório. O desafio, conta o Hollywood Reporter, foi lançado durante um encontro privado no passado mês de dezembro.

“Reese pediu-me que fosse a um encontro das atrizes. Contou-me que estavam a planear ir vestidas de negro à cerimónia e perguntou-me se eu poderia pensar num pin para ser usado pelos nomeados e pelos apresentadores masculinos”, conta Phillips, que revela ter aceitado logo. Mais: convidou de imediato o seu parceiro de atividade, o joalheiro Michael Schmidt. A dupla Phillips-Schmidt, que já assinou criações para vários artistas, desde Madonna a Miley Cyrus, lançou-se de imediato à tarefa, tendo sido produzidos 500 pins em apenas duas semanas.

Vários atores, como Jude Law, Ewan McGregor, Robert Pattinson ou Christian Slater, foram alguns dos artistas que usaram o pin na noite dos Globos de Ouro.

O movimento Time’s Up planeia agora alargar um fundo legal para apoio e proteção de vítimas de abusos sexuais a mais áreas de atividade. Um objetivo que os levou a lançar um apelo para donativos na indústria da moda e que já lhes permitiu angariar os primeiros 13 milhões de dólares — e criaram o site GoFundMe através do qual esperam captar mais contributos.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Globos de Ouro

Hollywood, a contradição e o ridículo

Bernardo Sacadura
283

A mesma Hollywood que aplaude de pé o discurso de Oprah Winfrey é a que aplaude de pé Roman Polanski, alguém que confessou ter drogado e abusado sexualmente de uma criança de 13 anos. 

Civilização

Globos de Ouro, elites de palha

António Pedro Barreiro
313

Uma moral sexual radicada unicamente no consentimento é menos ética e mais vulnerável às relações de poder. Os Globos de Ouro teriam sido uma bela oportunidade para o dizer. Obviamente, não o foram.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site