EDP

EDP deverá aumentar Conselho de Administração para cumprir quotas

O Conselho de Administração da EDP deve aumentar de oito para nove elementos para cumprir a quota de 20% de mulheres. A Assembleia Geral analisa a proposta em abril.

ANDRÉ KOSTERS/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A Assembleia Geral da EDP vai analisar em abril uma proposta para aumentar o Conselho de Administração de oito para nove elementos para cumprir a quota de 20% de mulheres nos órgãos de administração e fiscalização das empresas cotadas em bolsa.

Segundo comunicou a empresa à Comissão de Mercados e Valores Mobiliários (CMVM), a lei aprovada em agosto e que estabelece um regime de representação equilibrada entre homens e mulheres nos órgão de fiscalização e administração das empresas cotadas em bolsa impõe “uma quota de 20% do género sub-representado naqueles órgão sociais na primeira assembleia geral eletiva após 01 de janeiro de 2018”.

A EDP considera ainda necessário, para cumprir a lei, “dispor de maior flexibilidade no que respeita ao número de membros que integra o Conselho de Administração Executivo da EDP” e, por isso, considera adequado alargar esse número de oito para nove membros, o que implica uma alteração aos estatutos da sociedade. De acordo com a proposta, o número de membros do Conselho de Administração Executivo da EDP fica fixado entre um mínimo de cinco e um máximo de nove.

Segundo um outro comunicado da empresa enviado na noite de segunda-feira à CMVM, António Mexia é o nome proposto para presidente do Conselho de Administração Executivo da EDP — Energias de Portugal.

São ainda propostos como membros do Conselho de Administração João Manso Neto, António Fernando Melo Martins da Costa, João Manuel Marques da Cruz, Miguel Stilwell de Andrade, Miguel Nuno Ferreira Setas e Rui Lopes Teixeira, bem como Maria Teresa Isabel Pereira e Vera Pinto Pereira.

O mandato dos atuais membros do Conselho de Administração Executivo da EDP terminou a 31 de dezembro. A Assembleia Geral anual da EDP – Energias de Portugal, SA, agendada para o dia 5 de abril, tem uma proposta para nomear o antigo ministro dos Negócios Estrangeiros Luis Amado para presidente do Conselho Geral e de Supervisão da empresa.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Emprego

Em casa de Ferraz, competitividade de pau

Luís Aguiar-Conraria

Declarações como as de Ferraz da Costa, do Fórum para a Competitividade, dão a entender que uma parte dos empresários continua viciada em baixos salários. Estava na altura de serem mais competitivos.

Emprego

Em casa de Ferraz, competitividade de pau

Luís Aguiar-Conraria

Declarações como as de Ferraz da Costa, do Fórum para a Competitividade, dão a entender que uma parte dos empresários continua viciada em baixos salários. Estava na altura de serem mais competitivos.

Startups

Foguetório empresarial

Maria João Marques

Não há nada que irrite mais o português médio que o arrojo e a ousadia alheia. O atrevimento, as ambiciosas ideias de uns têm o condão de iluminar o conformismo dos restantes, o que ninguém leva a bem

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site