Wall Street

Wall Street termina em forte alta, com três novos máximos de sempre

Os três principais índices da Bolsa de Wall Street, Dow Jones industrial, S&P 500 e Nasdaq, atingiram recorde, esta sexta-feira, ao subirem para novos máximos de sempre.

JUSTIN LANE/EPA

A bolsa de Wall Street terminou esta sexta-feira de novo com um triplo recorde, com os três principais índices, Dow Jones industrial, S&P 500 e o Nasdaq, a subirem para novos máximos de sempre.

No final da sessão, o Dow Jones subiu 0,89%, para 25.803,19 pontos, o S&P 500 avançou 0,67%, para 2.786,14 pontos, e o Nasdaq progrediu 0,68%, para 7.261,06 pontos, os três em níveis nunca registados anteriormente. Nesta semana, o Dow Jones valorizou-se 2%, o S&P 500 1,6% e o Nasdaq 1,7%.

Wall Street disparou neste dia para novos recordes, sustentada como desde o início deste ano pelo otimismo dos investidores sobre a economia norte-americana e a nova temporada de apresentação de resultados empresariais, que se iniciou esta semana. “Não serve de nada gritar ao lobo” face à subida implacável dos índices que registam recordes desde o início do ano, comentou Gregori Volokhine do Meeschaert Financial Services, citado pela agência AFP. “Quando a economia acelera, as empresas têm uma maior rentabilidade, é normal”, adiantou.

Wall Street entrou esta semana no máximo da temporada dos resultados, nomeadamente neste dia com os números de grandes estabelecimentos financeiros. “Os analistas ainda não incluíram nas estimativas os efeitos da reforma fiscal (…) e o mercado de ações está simplesmente quase a antecipar-se”, comentou o conselheiro financeiro Hugh Johnson para quem o crescimento da economia norte-americana em 2018 poderá atingir 3,6% graças a esta nova lei.

Do dinheiro ganho, as empresas “podem recompensar os empregados ou os acionistas através de pagamento de dividendos ou de compras de ações, o que já começaram a fazer”, defendeu Johnson. A questão é de saber se as empresas vão também “investir em novos equipamentos, comprar novas empresas ou desenvolver as suas atividades” para sustentar o seu crescimento a longo prazo, sublinhou o especialista.

O JPMorgan Chase (+1,65%), maior banco norte-americano em termos de ativos, assegurou, quando publicou os resultados, que a reforma fiscal lhe iria permitir aumentar os investimentos. No final da sessão, o petróleo do Texas subia para 64,39 dólares, a onça de ouro subia para 1.339,2 dólares, a rentabilidade da dívida pública a dez anos subia para 2,549% e o dólar perdia terreno face ao euro, que se trocava a 1,2206 dólares.

Na próxima semana Wall Street reabre terça-feira depois de estar fechada devido ao feriado de Martin Luther King, que se comemora na terceira segunda-feira de janeiro.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site