Papa Francisco

Papa lança novo apelo à hospitalidade para com refugiados

374

O papa Francisco lançou hoje mais um apelo à hospitalidade para com os refugiados, acreditando que "pecar é desistir do encontro com o outro".

OSSERVATORE ROMANO/EPA

O papa Francisco lançou hoje mais um apelo à hospitalidade para com os refugiados, acreditando que “pecar é desistir do encontro com o outro”, por ocasião da comemoração do 104.º Dia Mundial dos Migrantes e dos Refugiados.

“Todo o imigrante que bate à nossa porta é uma oportunidade para conhecer Jesus Cristo, que se identifica com o estrangeiro de qualquer época, acolhido ou rejeitado”, disse o Papa durante a missa solene celebrada na Basílica de São Pedro em Roma.

“Não é fácil entrar na cultura que nos é estranha, colocarmo-nos no lugar de pessoas tão diferentes de nós, entender os seus pensamentos e experiências”, acrescentou o papa.

Jorge Bergoglio, ele próprio oriundo de uma família de emigrantes italianos na Argentina, defendeu que “muitas vezes desistimos de conhecer o outro e levantamos barreiras para nos defender”.

O papa defendeu que “as comunidades locais às vezes têm medo de que os recém-chegados interrompam a ordem estabelecida, ‘roubem’ algo que tenha sido dolorosamente construído”, defendeu.

“Os recém-chegados também têm medos: eles temem o confronto, o julgamento, a discriminação, o fracasso. Esses medos são legítimos, são baseados em dúvidas perfeitamente compreensíveis do ponto de vista humano”, disse.

Para o pontífice de 81 anos, “não é um pecado ter dúvidas e medos, o pecado é permitir que esses medos determinem as nossas respostas, condicionem as nossas escolhas, comprometam o respeito e a generosidade, o combustível do ódio e da recusa. O pecado é desistir do encontro com o outro”.

Desde o início do seu pontificado, em março de 2013, o Papa tem vindo a intensificar a posição a favor do acolhimento de refugiados e migrantes.

Na segunda-feira, o papa começa uma viagem de oito dias ao Peru e ao Chile, a sua 22.ª viagem ao exterior.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Liberdade de Expressão

Ofendam-me, se faz favor

Diogo Prates

O P. Gonçalo Portocarrero de Almada parece ignorar que cada vez que expressamos uma opinião, cada vez escrevemos um artigo num jornal ofendemos alguém. Como sucede com ele mesmo. 

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site