Papa Francisco

“Querem que vos case?” — Papa Francisco casa comissários de bordo durante voo

1.459

Para Paula Podest e Carlos Ciuffardi, uma foto de grupo com o Papa e uma pequena troca de palavras acabou em casamento, após Francisco ter decidido casá-los a bordo de um avião.

Vatican Media

27 de fevereiro de 2010: dia de casamento de Paula Podest Ruiz e Carlos Ciuffardi Elorriga. Ou pelo menos seria, se nesse mesmo dia um dos maiores terramotos de que há registo não tivesse atingido o Chile, causando 525 mortes e a destruição de estradas, pontes, casas e também da igreja onde Paula e Carlos, ambos comissários de bordo, iriam casar. O infortúnio obrigou-os a casar pelo civil e assim ficaram, sem alguma vez fazerem uma cerimónia pela igreja — até que esta quinta-feira o infortúnio se transformou em sorte, e o Papa os decidiu casar a bordo de um avião.

O casal, que estava a trabalhar na viagem de Francisco de Santiago a Iquique, teve a oportunidade de ir tirar uma foto de grupo com o pontífice. Então começaram a trocar umas palavras com o Papa, que lhes perguntou se eram casados. Paula e Carlos, que se conheceram no trabalho, contaram-lhe a sua história e pediram que este abençoasse o seu casamento, mas Francisco teve outra ideia.

“Querem que vos case?”, perguntou o Papa, segundo a Reuters. “Aqui?”, perguntaram. O Papa disse que sim e perguntou se o casal tinha a certeza. Paula e Carlos não deixaram a oportunidade passar: Francisco realizou uma cerimónia a bordo do avião, que contou com o CEO da LATAM, a companhia aérea, como testemunha oficial do casamento. O documento foi assinado a bordo por um cardeal chileno.

Greg Burke, o diretor de comunicação do Vaticano, disse, em declarações aos jornalistas após o voo, que “tudo é válido, tudo é lícito”.

Carlos Ciuffardi, em entrevista ao Vatican News, disse que ser casado pelo Papa a bordo de um avião é “tremendamente inspirador”, algo que disse ser “único” para o pontífice e “impensável” para Carlos e Paula, que são pais de duas meninas, de seis e três anos.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Igreja Católica

A reforma mais difícil de Francisco

P. Miguel Almeida, sj

Juntemos a descentralização da autoridade eclesial a uma real importância dada à consciência dos fiéis e temos o fim do clericalismo. Esta é a grande bomba da reforma bergogliana.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site