Música

The Legendary Tigerman começa a tour “Misfit” em França

Com "Misfit", que sucede a "True", The Legendary Tigerman, disse que andará em digressão durante o próximo ano e meio. A tour inicia-se em França e só depois dará concertos em Portugal.

INÁCIO ROSA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O músico português The Legendary Tigerman, que edita esta sexta-feira o álbum “Misfit”, começa a nova digressão internacional no dia 26, em França, e só em fevereiro é que fará os primeiros concertos em Portugal, foi anunciado neste dia.

Guyancourt será a primeira etapa do concerto de apresentação de “Misfit”, o sexto álbum que Paulo Furtado grava enquanto The Legendary Tigerman. Até 4 de fevereiro, andará ainda por Bain De Bretagne, Ris Orangis, Paris, Bron, Castres e Marselha.

Em Portugal, a série de concertos começa a 22 de fevereiro, na discoteca Lux, em Lisboa, seguindo-se passagem pelo Porto, Arcos de Valdevez, Aveiro, Évora, Castelo Branco, Alcobaça, Tondela e Braga. Em palco, Paulo Furtado estará acompanhado de Paulo Segadães (bateria), João Cabrita (saxofone) e Filipe Rocha (baixo).

“Misfit” foi composto durante uma viagem de Paulo Furtado aos Estados Unidos, na companhia do realizador Pedro Maia e da fotógrafa Rita Lino. Na altura os três fizeram um filme, “Fade into nothing”, que serviria de inspiração, juntamente com a própria viagem, para a composição dos temas novos.

Paulo Furtado voltou aos Estados Unidos mais tarde, já com os músicos Paulo Segadães e João Cabrita, e gravou o álbum no estúdio Rancho de la Luna, em Joshua Tree, Califórnia.

Escrevi todas as canções enquanto estava em rodagem e dentro desta mentalidade do ‘misfit’ [desenquadrado]. Quando usas uma máscara continuas a ser tu que está por detrás dessa máscara. A maior parte das coisas foram escritas por mim, com os diários, que se cruzavam com as letras”, contou em entrevista à agência Lusa.

Além da inspiração que retirou desses dias de rodagem, Paulo Furtado sublinhou a importância de passar por aquele estúdio no deserto, dos arranjos lá criados e dos instrumentos descobertos e utilizados, e que moldaram o som que é hoje praticado por The Legendary Tigerman.

Influenciado pelos blues americanos, pelo punk e pelo rock’n’roll, Paulo Furtado admitiu que só agora quis gravar nos Estados Unidos, por receio de redundância e de não ter certezas absolutas da linguagem que queria seguir. “Precisei destes anos para ter essa certeza”, disse.

“Misfit”, que já estava disponível há algumas semanas em ‘streaming’ no Spotify, tem a edição física neste dia no mercado, acompanhada do DVD “Fade into nothing”, o filme que desencadeou este novo universo habitado de Legendary Tigerman. Com “Misfit”, que sucede a “True” (2014), Paulo Furtado disse que andará em digressão durante o próximo ano e meio.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site