Cinema

“The Shape of Water”. Guillermo del Toro acusado de plágio

David Zindel, filho do dramaturgo norte-americano Paul Zindel, acredita que Guillermo del Toro se inspirou numa peça do pai para criar "The Shape of Water", filme nomeado para 13 Óscares.

Guillermo del Toro disse ter-se inspirado no "Monstro da Lagoa Negra", que viu pela primeira vez quando era criança

NEIL HALL/EPA

David Zindel, filho do dramaturgo norte-americano Paul Zindel, acredita que “The Shape of Water”, o último filme do realizador Guillermo del Toro, foi inspirado numa peça do pai sem que esta tenha sido referida nos créditos. Em declarações exclusivas ao jornal The Guardian, David Zindel, que é também responsável pelo espólio do pai, disse estar “chocado” por um grande estúdio ter feito “um filme tão obviamente inspirado no trabalho do meu falecido pai sem que ninguém o reconheça ou nos tenha vindo pedir autorização”.

“The Shape of Water”, de Guillermo del Toro, tem sido um dos favoritos desta temporada de prémios. O filme arrecadou o maior número de nomeações para os Globos de Ouro, ficou na linha da frente nos Critics’ Choice Awards, os prémios atribuídos pelos críticos de cinema dos Estados e é um dos favoritos aos BAFTA do Reino Unido. Esta semana, ficou também em primeiro lugar nas nomeações para os Óscares. A longa-metragem é candidata a 13 categorias, incluindo a de “Melhor Argumento Original”, de “Melhor Filme” e de “Melhor Realizador”.

O filme conta a história uma empregada de limpeza muda e solitária (interpretada por Sally Hawkins) que trabalha num laboratório secreto do Governo norte-americano, em Baltimore, que desenvolve uma relação estreita e especial com uma criatura anfíbia, capturada no Amazonas, que vive num tanque de água para ser alvo de experiências científicas, numa altura de plena guerra fria e competição com a Rússia na corrida espacial. David Zindel acredita que o enredo — assinado por del Toro e a argumentista Vanessa Taylor — é semelhante ao da peça Let Me Hear You Whisper. Originalmente publicada em 1974 e mais tarde adaptada para a televisão, Let Me Hear You Whisper também fala sobre uma empregada de limpeza num laboratório de investigação que se torna próxima de um golfinho que é alvo de misteriosas experiências científicas.

Nas duas obras, as empregadas de limpeza aprendem a comunicar com as duas criaturas marinhas e, depois de descobrirem que os responsáveis pelo laboratório têm planos para as matarem, decidem arranjar forma de as retirar das instalações. Tanto no filme como na peça, os seres são transportados para fora do laboratório num carrinho usado para a roupa suja e libertados no mar. Nos dois casos, as protagonistas são ajudadas por outra empregada de limpeza. No filme de Guillermo del Toro, esta é interpretada por Octavia Spencer, nomeada para o Óscar de “Melhor Atriz Secundária”. Mas também existem diferenças: em “The Shape of Water”, a protagonista é muda e o final é diferente.

Apesar das suspeitas lançadas por David Zindel, a Fox Searchlight garantiu em comunicado que “Guillermo del Toro nunca leu ou viu a peça de Zindel”. “Del Toro tem 25 anos de carreira, durante os quais fez dez filmes originais e sempre foi sincero em relação às suas influências”, disse a empresa de distribuição, citada pelo The Guardian, mostrando-se disponível para conversar com a família do dramaturgo caso tenha “alguma questão em relação a este trabalho original”. Numa entrevista ao Los Angeles Times, o realizador mexicano explicou que “The Shape of Water” foi inspirado no filme “Criatura da Lagoa Negra”, que viu pela primeira vez quando era criança. “Tenho aquele filme na cabeça desde que tinha seis anos. Não a sua história, mas a sua ideia”, disse ao jornal. “Pensei: ‘Isto é a coisa mais poética que vou ver na vida’. Fiquei impressionado pela beleza daquilo.”

Esta não é a primeira alegação de plágio em relação a “The Shape of Water”. No início do mês, começaram a surgir nas redes sociais comparações entre o filme de del Toro e uma produção holandesa, “The Space Between Us”. Escrito e realizado por um aluno da Academia de Cinema da Holanda (NFA), Marc Nollkaemper, o filme também conta a história de uma empregada de limpeza que se apaixona por uma criatura marítima, semelhante a um homem, que se encontra presa num laboratório. No final, tenta salvá-lo.

As alegações foram afastadas pela própria NFA que, num comunicado citado pelo Telegraph, afirmou que os dois filmes têm “identidades muito diferentes” e que não podem ser comparados, chamando a atenção para as semelhanças entre “The Shape of Water” e dois filmes do Hellboy, realizados também por Guillermo del Toro.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rcipriano@observador.pt
Emprego

Em casa de Ferraz, competitividade de pau

Luís Aguiar-Conraria

Declarações como as de Ferraz da Costa, do Fórum para a Competitividade, dão a entender que uma parte dos empresários continua viciada em baixos salários. Estava na altura de serem mais competitivos.

Startups

Foguetório empresarial

Maria João Marques

Não há nada que irrite mais o português médio que o arrojo e a ousadia alheia. O atrevimento, as ambiciosas ideias de uns têm o condão de iluminar o conformismo dos restantes, o que ninguém leva a bem

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site