Assédio Sexual

Larry Nassar condenado a mais 40 a 125 anos de prisão

O ex-médico da seleção de ginástica dos EUA foi condenado a mais uma pena: 40 a 125 anos de prisão. Esta é a terceira e última pena atribuída. Mais de 260 mulheres acusaram o médico de abuso sexual.

AFP/Getty Images

Autores
  • Agência Lusa

O antigo médico da seleção de ginástica dos Estados Unidos Larry Nassar foi condenado a mais uma pena: 40 a 125 anos de prisão por ter abusado de três jovens. Nassar está acusado de agressão sexual a centenas de atletas, que o próprio já confessou.

Esta é a terceira e última pena atribuída ao médico da seleção: Nassar já tinha sido condenado a um pena de 40 a 175 anos por outro caso separado mas relacionado e, em dezembro de 2017, a 60 anos por pornografia infantil.

Este último processo a Larry Nassar, que já enfrenta o resto da vida na prisão, decorreu em Eaton, no Michigan, e incidiu nos assaltos sexuais cometidos pelo médico no Twistars USA Gymnastics Club, um ginásio para ginastas de elite.

Durante a sessão de sexta-feira, o pai de duas das vítimas tentou agredir Larry Nassar, após ouvir o depoimento das filhas, acabando por ser imobilizado pelas forças de segurança antes de conseguir consumar a agressão.

Mais de 260 mulheres e meninas dizem que Larry Nassar abusou sexualmente delas sob o pretexto de tratamento médico. Algumas das mulheres dizem que o abuso ocorreu há várias décadas. Larry Nassar admitiu que abusou sexualmente de meninas e mulheres jovens durante o tempo em que trabalhou na Michigan State University e na equipa olímpica dos EUA, que prepara os atletas para os Jogos Olímpicos.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Feminismo

As mulheres do Presidente

Luis Carvalho Rodrigues

Para as feministas mulheres que aceitam a “objectificação" sofrem de “misoginia interiorizada” (uma versão do proletário alienado pelo capitalismo) e devem ser salvas. Se preciso contra a sua vontade 

Serviço Nacional de Saúde

Modernices

Luis Carvalho Rodrigues

O problema não é a comida e sim que nos queiram obrigar a comê-la. Obrigar-nos da mesma maneira e com o mesmo argumento com que se obrigam as crianças: “é para teu bem”. 

Eutanásia

Eutanásia: uma falsa compaixão

João Muñoz de Oliveira

Todos sabemos que a vida não nos pertence por completo: foi-nos dada pelos nossos pais como um dom, pelo que não temos domínio absoluto sobre ela. E este ponto reforça os argumentos contra a eutanásia

Igreja Católica

O deputado e o Cardeal

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

Em Portugal, não é precisa nenhuma coragem para se ‘assumir’. Mas é necessário muito valor para alguém se afirmar católico, sobretudo se for fiel ao magistério e à tradição da Igreja.

Eutanásia

Eutanásia: uma falsa compaixão

João Muñoz de Oliveira

Todos sabemos que a vida não nos pertence por completo: foi-nos dada pelos nossos pais como um dom, pelo que não temos domínio absoluto sobre ela. E este ponto reforça os argumentos contra a eutanásia

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site