Casamento

Princesa japonesa adia casamento

Vai-se adiando o casamento da princesa Mako, do Japão, que estava marcado para novembro deste ano. "Falta de tempo" é uma das justificações dadas pela princesa - mas não só.

AFP/Getty Images

Autor
  • Ana Luísa Alves

O casamento da princesa Mako, do Japão, vai ser adiado. O noivado foi anunciado em setembro do ano passado e o casamento estava marcado para novembro deste ano, mas agora vai ter de esperar — até 2020, avançam os meios de comunicação internacionais.

Mako é a neta mais velha do Imperador do Japão, Akihito, e a primeira a casar. Segundo adianta o Washington Post, o casal decidiu adiar a data do casamento para depois da abdicação do imperador, marcada para abril do próximo ano.

É a primeira vez, em mais de dois séculos, que um imperador se retira do poder, mas Akihito já tinha dito em 2016 que queria retirar-se depois de quase três décadas como imperador, alegando problemas de saúde e uma idade já muito avançada, revela o jornal Straits Times. Ao ainda imperador japonês vai suceder o filho, príncipe Naruhito, de 57 anos.

“Lamento muito por causar algum transtorno e algum trabalho extra para aqueles que estão a ajudar-nos com o casamento”, sublinhou a princesa ao mesmo jornal.

O site oficial da família real japonesa, a Imperial Household Agency, adiantou ainda que outro dos motivos apresentados pela família real foi a falta de tempo para a preparação da cerimónia, algo que acabou por ser reconhecido pela princesa. “Quero pensar neste casamento mais profundamente e dedicar tempo suficiente para preparar a cerimónia e aquilo que se segue depois”, frisou a princesa, citada pela CNN.

Embora tenha sido dada esta justificação, o Washington Post acrescenta que a especulação em torno da alteração da data do casamento ainda pode estar relacionada com a origem social do noivo, Komuro, um jovem jurista que não pertence à nobreza.

O casal (ambos têm 26 anos) conheceu-se em Tokyo, na Universidade Cristã Internacional, e está junto desde 2012. Depois de casar, a princesa vai renunciar ao estatuto de membro da família Imperial, depois de casar com Komuro, tal como está estipulado na Constituição da Casa Imperial Japonesa, adianta o Daily Mail. 

Depois  da união, a família real ficará reduzida a 18 membros, cuja continuidade só é assegurada pelos herdeiros do sexo masculino da família.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Igreja Católica

A Igreja dos caminhos que se bifurcam

Rui Ramos
559

O verdadeiro contexto da discussão sobre as instruções do Patriarca para os católicos recasados é a discórdia que, noutras paragens, já pôs gente a reconhecer sintomas de "cisma" na igreja.

Família

Há solução para o casamento?

António Pimenta de Brito
169

O problema do casamento está nos sonhadores, porque nos vendem promessas de felicidade fácil e barata, e nos cínicos porque nos matam o desejo e a esperança de um casamento exigente, mas feliz.

Eutanásia

Eutanásia: uma falsa compaixão

João Muñoz de Oliveira

Todos sabemos que a vida não nos pertence por completo: foi-nos dada pelos nossos pais como um dom, pelo que não temos domínio absoluto sobre ela. E este ponto reforça os argumentos contra a eutanásia

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site