História

Dez mil anos depois, sabe-se que eram azuis os olhos do “homem de Cheddar”

Olhos azuis, pele e cabelo escuros. Investigadores tiraram uma amostra do crânio descoberto numa gruta e descobriram que era assim o "homem de Cheddar". A história vai ser contada em documentário.

Dez mil anos depois, esta é a reconstrução do "homem de Cheddar"

AFP/Getty Images

Autor
  • Agência Lusa

O “homem de Cheddar” morreu há dez mil anos, por isso já não se lhe veem os olhos, mas cientistas britânicos que estudaram o seu esqueleto, encontrado numa caverna em Inglaterra, afirmam que seriam azuis, e a pele escura.

Os investigadores tiraram uma amostra do crânio descoberto numa gruta em Cheddar Gorge, no sudeste de Inglaterra, parte do esqueleto completo mais antigo já descoberto na Grã-Bretanha.

Estudando o ADN, concluíram que o homem teria olhos azuis, cabelo encaracolado escuro e pele “escura a negra”, considerando que isso prova que o tom de pele mais claro dos europeus se desenvolveu mais tarde do que o que se pensava.

A história da investigação será contada num documentário a transmitir pela estação Channel 4 da televisão britânica.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Educação

A verdade a que temos direito

Gabriel Mithá Ribeiro
118

Os manuais de História recomendados no nosso sistema público de ensino condenam, bem!, o nazismo alemão (1933-1945), mas conseguem encontrar formas para legitimar (mal!) o maoísmo chinês (1949-1976).

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site