Coreia do Norte

Jogos Olímpicos de Inverno. A claque da Coreia do Norte, um “exército de beleza”

154

A claque oficial já chegou à Coreia do Sul para os Jogos Olímpicos de Inverno. São 229 no total. São escolhidas pela aparência e ideologias. Kim Jong-un acabou por casar com uma delas.

ED JONES/AFP/Getty Images

“Não vamos permitir que a propaganda da Coreia do Norte se apodere da mensagem e da imagem dos Jogos Olímpicos”, disse Mike Pence, vice-presidente dos Estados Unidos que lidera a comitiva norte-americana, ao acusar o regime norte-coreano de usar o evento desportivo para os seus próprios fins. Propaganda ou não, a verdade é uma: dos 280 norte-coreanos que viajaram até à Coreia do Sul para os Jogos Olímpicos de Inverno, 229 fazem parte da claque. Dos restantes, 26 são atletas de taekwondo, 21 são jornalistas e quatro são membros da comitiva — que inclui o ministro do Desporto, Kim Il-guk.

Atravessaram a fronteira às 9h31 de quarta-feira, de autocarro, relata o The Korean Times. Numa paragem para descansar, durante a viagem até Pyeongchang, as 229 meninas da claque saíram do autocarro, sorridentes e todas vestidas de igual: um gorro de pêlo, luvas pretas, um casaco vermelho e botas pretas.  “Olá, olá”, diziam aos jornalistas, durante a chegada. Uma delas, quando questionada sobre o que é que tinham preparado, respondeu: “Vão ver. Não seria divertido se eu dissesse tudo aqui”.

[Veja neste vídeo a chegada das cheerleaders e a primeira atuação na Vila Olímpica]

Na quinta-feira, já chegadas à vila olímpica, as raparigas da claque fizeram a primeira performance. Vestidas de uniformes vermelhos e amarelos, marcharam em frente a alguns atletas, enquanto tocavam instrumentos.

Apelidada de “exército de beleza”, a claque é constituída exclusivamente por mulheres, de cerca de “20 e tal anos” e são “escolhidas com base na sua aparência e ideologias”, ou seja, são bonitas e todas devotas ao regime norte-coreano, explicou Kim Gyeong-sung, representante da Inter-Korean Athletic Exchange Association. O historial de família e as aptidões pessoais também são tidas em consideração. Uma das escolhidas, para a claques de 2005, foi Ri Sol-Ju, com quem o líder norte-coreano, Kim Jong-un, acabou por casar.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: cbranco@observador.pt
Turquia

Uma bofetada Otomana

Diana Soller

A Turquia está isolada. Quem semeia ventos colhe tempestades. E quem sofre é a população. Afrin tornou-se uma região de refúgio para muitos sírios que fogem de focos mais intensos da guerra civil.

Eutanásia

Eutanásia: uma falsa compaixão

João Muñoz de Oliveira

Todos sabemos que a vida não nos pertence por completo: foi-nos dada pelos nossos pais como um dom, pelo que não temos domínio absoluto sobre ela. E este ponto reforça os argumentos contra a eutanásia

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site