Estado Islâmico

Estado de emergência prolongado por mais um mês na Tunísia

Em 2015, os atentados 'jihadistas' levaram a Tunísia a adotar um estado de emergência que agora se prolonga até 11 de março. A decisão foi tomada após o Presidente ter consultado primeiro-ministro.

LUDOVIC MARIN / POOL/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O Presidente da Tunísia anunciou esta sexta-feira o prolongamento por mais um mês do estado de emergência em vigor desde os atentados ‘jihadistas’ de 2015.

O chefe de Estado tunisino, Béji Caïd Essebsi, decidiu prolongar esta medida até 11 de março, “após ter consultado o primeiro-ministro e o presidente do parlamento sobre as questões ligadas à segurança nacional e à situação nas fronteiras e na região”, segundo um comunicado da presidência.

O estado de emergência concede poderes excecionais às forças da ordem e permite uma interdição de greves e de reuniões que possam provocar desordens, bem como a adoção de medidas “para assegurar o controlo da imprensa”.

Em 2015, ocorreram na Tunísia três atentados reivindicados pelo grupo Estado Islâmico (EI). O estado de emergência tem sido sempre renovado desde o último destes atentados, perpetrado contra a guarda presidencial a 24 de novembro de 2015, em Tunes, tendo provocado 12 mortos.

As autoridades tunisinas dizem que têm feito “avanços importantes na guerra contra o terrorismo” e sublinham que a situação no domínio da segurança tem melhorado desde 2015, mas exige ainda vigilância. A situação na vizinha Líbia continua a ser uma das principais preocupações, segundo responsáveis governamentais.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eutanásia

Eutanásia: uma falsa compaixão

João Muñoz de Oliveira

Todos sabemos que a vida não nos pertence por completo: foi-nos dada pelos nossos pais como um dom, pelo que não temos domínio absoluto sobre ela. E este ponto reforça os argumentos contra a eutanásia

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site