Moçambique

Fundação Ecobank doa 612 mil euros para erradicar malária em Moçambique

A Fundação Ecobank doou 750 mil dólares ao Ministério da Saúde de Moçambique para apoiar os programas de erradicação da malária no país, indicou a instituição.

PIYAL ADHIKARY/EPA

Autor
  • Agência Lusa

A Fundação Ecobank doou 750 mil dólares (612 mil euros) ao Ministério da Saúde de Moçambique para apoiar os programas de erradicação da malária no país, indicou esta sexta-feira a instituição com sede em Lomé (Togo).

A verba da fundação, parceira do Fundo Global de Combate ao HIV/SIDA, Tuberculose e Malária, vai permitir apoiar uma campanha de distribuição de redes mosquiteiras à população, oferecendo também testes de diagnóstico e a disponibilização de tratamento.

“Moçambique fez grandes progressos na luta contra a malária. Com esta contribuição financeira, apoiamos o governo na sua determinação de se tornar um país livre da malária. Estamos a um passo de melhorar a qualidade de vidas das crianças, famílias e comunidades inteiras”, disse Julie Essiam, diretor-geral da fundação.

No comunicado, a fundação relembra que, em setembro de 2016, na altura da renovação da parceria de três anos com o Fundo, comprometeu-se a atribuir aquele montante para apoiar a luta contra a doença, também conhecida por paludismo, num país africano.

A verba, explicou a Fundação Ecobank, foi multiplicada por dois, através do mecanismo de complementaridade do Departamento do Governo Britânico para o Desenvolvimento Internacional (DFID), cujo princípio é dar dois dólares por cada dólar atribuído como subsídio pelos doadores.

Desta forma, a contribuição de esta parceria público-privada facilitada pelo Fundo atingiu os 2,25 milhões de dólares (1,83 milhões de euros) em favor do programa governamental moçambicano.

Citado no comunicado, Christopher Benn, diretor das Relações Externas do Fundo, disse que a fundação tem apoiado a missão de criar comunidades “mais saudáveis e prósperas”, ajudando também a “maximizar as respostas contra as doenças de forma eficiente”.

Ao longo da semana em curso, refere-se no comunicado, a Fundação Ecobank está, ao lado de outros parceiros privados do Fundo, a avaliar no terreno, em Moçambique, os avanços realizados na erradicação da malária.

A Malária continua a ser um dos maiores problemas de saúde pública em Moçambique, tendo no ano passado matado 1.600 pessoas de um total de 7,5 milhões de casos diagnosticados.

A Fundação Ecobank, criada pelo Grupo Ecobank e pelo Banco Panafricano Líder, tem por objetivo produzir impactos positivos nas vidas das populações em toda a África e dedica-se à transformação do continente nas áreas da saúde, educação e inclusão financeira, particularmente através da tomada de ações nas comunidades onde o Banco tem presença.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eutanásia

Eutanásia: uma falsa compaixão

João Muñoz de Oliveira

Todos sabemos que a vida não nos pertence por completo: foi-nos dada pelos nossos pais como um dom, pelo que não temos domínio absoluto sobre ela. E este ponto reforça os argumentos contra a eutanásia

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site