Livros

Livro ilustrado de Madalena Matoso distinguido na Feira de Bolonha

O livro "Montanhas" foi distinguido nos prémios anuais da Feira do Livro Infantil e Juvenil de Bolonha, que decorrerá em março, em Itália, anunciou a organização.

FRANK RUMPENHORST/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O livro “Montanhas”, da autora portuguesa Madalena Matoso, foi distinguido nos prémios anuais da Feira do Livro Infantil e Juvenil de Bolonha, que decorrerá em março, em Itália, anunciou a organização.

Todos os anos aquela feira internacional distingue os melhores livros ilustrados editados em todo o mundo, em várias categorias (ficção, não ficção, primeira obra, livro digital), tendo “Montanhas”, de Madalena Matoso, recebido uma menção especial na área do livro de arte, arquitetura e design.

“Montanhas” é um livro de atividades para os mais novos, em grande formato, criado por Madalena Matoso para a editora polaca Wytwórnia, tendo tido uma coedição com a portuguesa Planeta Tangerina.

No livro, Madalena Matoso convida o leitor a completar ilustrações que têm como tema a montanha, sempre ancoradas em pequenos textos como se fossem legendas de uma obra de arte num museu.

“Quis brincar com esse tipo de linguagem e depois cada criança, cada pessoa, pode fazer coincidir o que desenhar com a legenda”, afirmou Madalena Matoso à agência Lusa.

Visualmente, a autora explicou que se inspirou em paisagens e ideais do Romantismo, em arte abstrata e em arte contemporânea, embora o resultado seja “super gráfico, geométrico e com cores planas”.

Madalena Matoso já ilustrou mais de duas dezenas de livros para crianças, tendo assinado em nome próprio obras como “Livro Clap”, “Conta-quilómetros”, “Dobra letras” e “Não é nada difícil – o livro dos labirintos”.

Cofundadora da editora Planeta Tangerina, Madalena Matoso venceu o Prémio Nacional de Ilustração em 2008 com “A charada da bicharada”, de Alice Vieira.

Madalena Matoso estará presente, este ano, na feira de Bolonha, também na exposição internacional de ilustração, com colagens do livro “Não é nada difícil – o livro dos labirintos”.

Esta não é a primeira vez que a ilustração portuguesa é premiada em Bolonha.

Em anos anteriores, foram distinguidos com prémios e menções especiais os livros “Lá fora – Um guia para descobrir a natureza”, das biólogas Maria Dias e Inês Rosário, ilustrado por Bernardo Carvalho, “Hoje sinto-me…”, escrito e ilustrado por Madalena Moniz, “Mar”, de André Letria e Ricardo Henriques, e “A ilha”, de João Gomes de Abreu e Yara Kono.

Catarina Sobral conquistou em 2014 o Prémio Internacional, atribuído no âmbito da exposição de ilustração da feira, com o livro “O meu avô”.

Com a China como país convidado, a feira decorrerá de 26 a 29 de março, com a presença de milhares de autores, ilustradores e editores de todo o mundo, em torno da criação e edição de livros ilustrados para crianças e jovens.

A par da vertente de negócios de direitos de edição, a feira conta com uma exposição internacional dedicada à ilustração, várias mostras espalhadas pela cidade de Bolonha, encontro com autores, lançamentos editoriais e atribuição de prémios.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Educação

A verdade a que temos direito

Gabriel Mithá Ribeiro
233

Os manuais de História recomendados no nosso sistema público de ensino condenam, bem!, o nazismo alemão (1933-1945), mas conseguem encontrar formas para legitimar (mal!) o maoísmo chinês (1949-1976).

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site