Moçambique

Economia de Moçambique cresceu 3,7% em 2017

A economia de Moçambique cresceu 3,7% no último ano, segundo números apresentados hoje pelo Governo. Crescimento fica abaixo das estimativas nacionais.

ANTONIO SILVA/EPA

A economia de Moçambique cresceu 3,7% em 2017, segundo números apresentados hoje pelo Governo. “O crescimento do Produto Interno Bruto foi de 3,7% […], acima da média da África Subsariana”, referiu Ana Comoana, porta-voz do Conselho de Ministros.

O valor fica abaixo dos 5,5% inicialmente programados pelo executivo, mas ainda assim em linha com o crescimento da economia mundial. A vice-ministra da Cultura e Turismo falava no final da reunião de hoje daquele órgão, em que foram analisados os números do Plano Económico Social de 2017.

O crescimento de 3,7% fica próximo da previsão feita pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) em dezembro, no final de uma missão a Maputo, quando apontou para cerca de 3%, sem precisar. O número fica acima da previsão do Banco Mundial, também datada de dezembro, que apontava para 3,1%.

Face aos números, “relativamente ao balanço do Plano Económico Social de 2017, há um desempenho satisfatório no quadro de implementação do programa quinquenal do Governo, 2015-2019”, avaliou Ana Comoana.

Quanto ao resto dos dados hoje divulgados, Moçambique terá fechado o ano com uma inflação média de 15,1%, abaixo dos 15,5% programados pelo Governo e da inflação de 19,5% de 2016.

As Reservas Internacionais Líquidas cobrem 7,3 meses de importação, num cenário em que as exportações cresceram 1,9% e as importações travaram a fundo, com uma retração de 22,8% – em 2016 tinham caído 37,5%.

O executivo apresentou ainda dados relativos à execução do Orçamento de Estado de 2017, apontando para uma redução do défice orçamental (após donativos) de 31% (estimado) para 22,7%.

De acordo com os números, a receita cobrada ficou 114,7% acima do previsto, rondando 214 mil milhões de meticais (2,8 mil milhões de euros) – incluindo 20,9 mil milhões de meticais (278 milhões de euros) de mais-valias resultantes da transferência indireta de 25% do interesse participativo na Área 4 da Bacia do Rovuma da Eni para a Exxonmobil.

Por outro lado, a despesa total do Estado foi de 242 mil milhões de meticais (3,2 mil milhões de euros), 89% do orçamento anual, anunciou o Governo moçambicano.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site