Química

Estudante de Oxford fotografa um único átomo com câmara comum

709

Um estudante de doutoramento da Universidade de Oxford usou uma câmara comum para fotografar um único átomo de estrôncio. O físico quântico não usou nada mais que um laser e uma lente normal.

David Nadlinger

Um estudante da Universidade de Oxford fotografou um único átomo com uma câmara fotográfica simples em longa exposição. A imagem mostra um único átomo de estrôncio, um elemento químico radioativo, iluminado por um laser e suspenso entre dois eléctrodos. A fotografia valeu ao estudante de doutoramento o primeiro lugar no concurso de imagens científicas conduzido pelo Engineering and Physical Sciences Research Council, que financia estudos científicos no Reino Unido.

De acordo com essa organização, a fotografia de um único átomo é possível porque esse elemento é iluminado por um laser entre o azul e o violeta. Como o átomo absorve essa radiação e a reenvia logo a seguir, uma câmara normal em modo de longa exposição é capaz de captar a luz que o estrôncio reflete. Foi esta a técnica que David Nadlinger, formado em física quântica, usou para conseguir esta fotografia.

É estranho para nós ver um átomo, mas para que tenha uma referência do tamanho que ele tem saiba que a distância entre os eléctrodos que o mantém suspenso é de apenas dois milímetros: um átomo de estrôncio, embora grande, tem 215 bilionésimos de milímetro. “A ideia de poder ver um único átomo a olho nu pareceu-me uma ponte maravilhosamente direta e visceral entre o minúsculo mundo quântico e a nossa realidade macroscópica”, descreveu David Nadlinger ao Conselho que o premiou.

A fotografia de David Nadlinger: o ponto branco no centro da fotografia é o átomo de estrôncio. Créditos: David Nadlinger

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mlferreira@observador.pt
Inovação

Patentes: um Tribunal em Portugal?

Filipa Iglésias

Tal como previsto para a deslocalização da Agência Europeia do Medicamento de Londres, poderá Portugal ser uma hipótese para acolher a área Química e Farmacêutica do Tribunal Unificado de Patentes?

passeio aleatório

A primeira luz do ESPRESSO

Nuno Crato

Tudo leva a crer que o novo espectrógrafo europeu ESPRESSO irá possibilitar novos desenvolvimentos na astronomia, na linhagem das descobertas realizadas graças à luneta que Galileu construiu em 1609.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site