Angola

Hungria alarga linha de crédito para Angola em quase 140 milhões de euros

A Hungria alargou a linha de crédito para Angola em quase 140 milhões de euros. O objetivo é promover o investimento de empresas húngaras naquele país africano.

Mauricio Duenas Castaneda/EPA

A Hungria alargou a sua linha de crédito para Angola em mais 172 milhões de dólares (139,4 milhões de euros), para promover o investimento de empresas húngaras no país africano, anunciou esta quarta-feira o chefe da diplomacia húngaro.

A informação foi avançada pelo ministro dos Negócios Estrangeiros e do Comércio da Hungria, Péter Szijárto, no final de uma audiência concedida pelo vice-Presidente angolano, Bornito de Sousa, em Luanda.

“O Exim bank [banco de apoio às importações e exportações] da Hungria criou uma linha de crédito de 172 milhões de dólares para as empresas húngaras que pretendem investir em Angola”, disse o governante, sublinhando o aumento significativo, 16 vezes mais, das trocas comerciais entre os dois países com o reforço da cooperação económica.

Péter Szijárto referiu ainda que a cooperação económica entre os dois países é baseada nos setores da agricultura e energia, no entanto, Angola considera o setor da segurança muito importante e a Hungria decidiu também cooperar nessa área.

A nível da educação, a Hungria pretende atribuir anualmente 50 bolsas de estudo para a formação de quadros angolanos, contra as 20 que vinha concedendo.

Antes do encontro com o vice-Presidente angolano, o chefe da diplomacia da Hungria assinou dois acordos nos domínios da agricultura e formação superior, após conversações entre as delegações dos dois países.

Na sua intervenção, o secretário de Estado das Relações Exteriores, Domingos Vieira Lopes, disse que Angola conta com a colaboração do Governo da Hungria para transformar o crescimento de Angola em desenvolvimento a curto, médio e longo prazo.

“A rubrica de um acordo de isenção de vistos em passaportes diplomáticos e de serviço entre os dois Governos vai garantir maior acesso dos cidadãos de Angola e da Hungria vai garantir maior acesso dos cidadãos dos dois países às oportunidades que ambos os mercados oferecem e intensificar de igual modo as trocas comerciais e de intercâmbio de experiência entre os mesmos”, disse Domingos Vieira Lopes.

Durante a sua estada de 24 horas, o chefe da diplomacia húngara vai encontrar-se com os ministros da Energia e Águas, do Ensino Superior, Ciência e Tecnologia e Inovação, e com o presidente da Assembleia Nacional, além de inaugurar a embaixada da Hungria em Angola.

Angola e a Hungria estabeleceram relações bilaterais em 1977, com a assinatura do Acordo de Cooperação económico, Técnico-Científico, que proporcionou vários protocolos e memorandos de entendimento, nos domínios do comércio, saúde, agricultura e cultura, em 1981.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site