Biblioteca Digital Vodafone: árvores que dão livros

10 Agosto 2017179

A Vodafone reinventa o conceito de biblioteca com árvores cobertas de livros digitais, “plantadas” na praia fluvial e na vila de Paredes de Coura. Tudo a pensar no público do festival.

Ler de dia, ouvir música e dançar à noite. Podia ser o resumo do que muitos festivaleiros fazem no Vodafone Paredes de Coura. Atenta ao fenómeno, a Vodafone decidiu apostar na criação de um novo conceito para esta 25ª edição do festival. Durante o dia, é comum ver os jovens de livro na mão, deitados nas redes ou sentados junto às margens do rio. Esta imagem, no cenário idílico da praia fluvial do Taboão, fez despertar o impulso para criar experiências dedicadas aos livros e à leitura.

Assim nasceu a Biblioteca Digital Vodafone, que conjuga a tecnologia com a criação literária, para disponibilizar gratuitamente obras de autores lusófonos, clássicos e contemporâneos, como António Lobo Antunes, Lídia Jorge, Alice Vieira ou Manuel Alegre, numa parceria com a editora Leya.

A propósito desta ação inovadora, Leonor Dias, Diretora de Marca da Vodafone explica que a marca “gosta de aportar valor às coisas que faz sem se impor, é uma relação de simbiose, uma espécie de casamento. E é recompensador ouvir os jovens dizerem, nas redes sociais, que o festival ficou ainda melhor e mais bonito graças à Vodafone”.

Visando a melhor integração possível com o cenário natural, a Vodafone aposta em árvores cobertas com livros digitais. As obras disponíveis podem ser descarregadas para o smartphone ou tablet, através do código QR associado a cada livro. As “árvores dos livros” vão ser distribuídas pelo recinto do festival e também na vila de Paredes de Coura. A Vodafone reforça assim a aposta na tecnologia com mais uma novidade que promete melhorar a experiência de todos os visitantes. “O festival marca a vida das pessoas e a Vodafone também é isso: marcar as vidas das pessoas, deixar-lhes boas memórias de bons momentos”, salienta Leonor Dias.

A Biblioteca Digital é uma iniciativa que surge na sequência do êxito das sessões de leitura Vodafone Vozes da Escrita. “Promovemos manifestações de cultura nas mais variadas formas. Há dois anos inventámos uma ativação muito bem sucedida [as Vozes da Escrita] em que convidamos pessoas de renome na cultura nacional”, explica a Diretora de Marca da Vodafone.

Aqueles momentos únicos

Pela terceira vez consecutiva, a Vodafone desafia os convidados a prepararem duas sessões de leitura inéditas, que serão protagonizadas em duo no Palco Jazz na Relva, nos dias 17 e 18 de agosto, por volta das 13 horas.

A sessão inaugural das Vodafone Vozes da Escrita vai estar a cargo dos irmãos Wallenstein. Tomás, o vocalista e letrista dos Capitão Fausto, é um dos nomes mais promissores da nova geração de autores da música nacional. Catarina é uma atriz de talentos reconhecidos, tanto em teatro como no cinema, em obras de Manoel de Oliveira e de João Botelho, a que se juntam diversas produções de ficção nacional para televisão.

A segunda dupla é formada por Miguel Guedes e Marta Ren. O vocalista dos Blind Zero vai apresentar a leitura de alguns dos poemas que o acompanharam ao longo da carreira de mais de 20 anos, em jeito de memória descritiva dos momentos mais marcantes. Já Marta Ren tem feito um percurso notável desde meados dos anos noventa. A paixão pela música negra, desde a soul crua e profunda, ao funk das décadas de 1960/70, marca a identidade sonora. No próximo dia 18 vai ler poesia em voz alta, ao lado de Miguel Guedes, no Palco Jazz na Relva.

As Vodafone Vozes da Escrita começaram em 2015 com as participações de Matilde Campilho, Pedro Mexia, Carlos Vaz Marques e Rui Cardoso Martins. No ano passado foi a vez dos músicos Samuel Úria, Gisela João, Capicua e Adolfo Luxúria Canibal. A partir de textos escolhidos, que podem incluir poesia, letras de canções, excertos de romances, crónicas ou simplesmente histórias de autores diversos, as duplas convidadas dão vida a estas sessões de leitura que já fazem parte do “habitat natural da música”.

At the Drive-In, Beach House, Benjamin Clementine, Bruno Pernadas, Foals, Foxygen, Future Islands, Lightning Bolt, Mão Morta, Nick Murphy (FKA Chet Faker), Ty Segall e Young Fathers são apenas alguns dos nomes no cartaz da 25ª edição do Vodafone Paredes de Coura, que decorre entre os dias 16 e 19 de agosto na Praia Fluvial do Taboão. São quatro dias que vão durar para sempre.

Conteúdo produzido pelo Observador Lab. Para saber mais, clique aqui.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: obslab@observador.pt
Sociedade

Um raríssimo Portugal

Paulo de Almeida Sande

Somos o povo acomodado, que exprime a angústia latente da bondade resignada, convencido de estar destinado à subalternidade, um povo submisso, que emula o estrangeiro e desdenha o nacional. 

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site