Logo Observador

Explicador

12 questões para perceber a “revolta” dos taxistas contra a Uber

28 Abril 2016215
Ana Pimentel

O que levou os taxistas a organizar uma marcha lenta contra a Uber na sexta-feira?

Pergunta 1 de 12

Os taxistas querem que o Governo se pronuncie sobre a Uber e impeça a empresa tecnológica de operar no país. Dizem que querem mostrar a sua “indignação e revolta” com a “não decisão do Governo” face à atividade da Uber e que querem ser ouvidos pela Assembleia da República.

Em março, o presidente da Associação Nacional de Transportes Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL) avançou que ia exigir ao Governo que os veículos da Uber fossem apreendidos, quando detetados pelas autoridades, e que os motoristas fossem multados na hora e “presos, como em França”.

As declarações surgiram na sequência de uma manifestação espontânea de taxistas no aeroporto de Lisboa, que paralisou o serviço durante horas, e que levou o ministro do Ambiente a convocar uma reunião com os representantes do setor. Dessa reunião saiu um pacote de medidas para reformular o setor, mas nada sobre a atividade da tecnológica.