Logo Observador

Paulo Tunhas

Colunista

paulotunhas@observador.pt

Nasci a 18 de Maio de 1960. Licenciei-me em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto e doutorei-me, também em Filosofia, pela École des Hautes Études en Sciences Sociales, Paris. Sou professor no Departamento de Filosofia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto e investigador no Instituto de Filosofia da mesma Universidade. Publiquei, entre outros livros, Impasses, ver mais... seguido de Coisas vistas, coisas ouvidas, em colaboração com Fernando Gil e Danièle Cohn (Europa-América), O Essencial sobre Fernando Gil (Imprensa Nacional/Casa da Moeda), O pensamento e os seus objectos. Maneiras de pensar e sistemas filosóficos (Edições da Universidade do Porto) e As questões que se repetem. Uma breve história da filosofia, em colaboração com Alexandra Abranches (D. Quixote). Na imprensa, colaborei regularmente, entre outros lugares, na revista Atlântico (2005-2008) e no jornal i (2009-2010).

Turismo

Áreas de jurisdição

Paulo Tunhas

A quantidade de áreas de jurisdição que nos lixam a vida é enorme, os exemplos de prepotência inúmeros. São a melhor base a partir da qual a falta de respeito pelos outros se pode organizar em sistema

Filosofia Política

Patologias da sociedade

Paulo Tunhas

Nem a liberdade individual se defina por oposição ao Estado, nem o Estado supõe a anulação desta. Mas os projectos políticos tendem a encaminhar-se para os extremos, conduzindo a situações patológicas

123
António Costa

Um homem muito perigoso

Paulo Tunhas

É difícil, por estes dias, não pensar o pior de António Costa. A razão do fenómeno está no próprio Costa, nos limites, agora postos à vista de toda a gente, da sua percepção das coisas como estadista.

4.428
Maioria de Esquerda

As palavras

Paulo Tunhas

A comunidade de pensamento da maioria que apoia o Governo exprime uma concepção autoritária da sociedade que vai contra uma concepção liberal que deveria ser partilhada pela esquerda e pela direita.

113
Férias

Foz do Neiva

Paulo Tunhas

Um mês de férias! O tempo que se imagina à frente ao nosso dispor… O luxo de se poder não ir um dia à praia porque se sabe que o dia seguinte está ali, no mesmo sítio, à hora que quisermos…

207
Filosofia Política

A carcaça

Paulo Tunhas

Lembrando Thomas Hobbes e o seu Leviatã, diríamos que o soberano anda distraído de nós e da nossa protecção. E que a comunidade política apresenta todas as características de uma carcaça prematura.

Terrorismo

O homem de Londres

Paulo Tunhas

Darren Osborne não possuía um corpo de ideias, apenas uma vontade indiscriminada de vingança. Isso não chega para fazer dele o sinal de uma “islamofobia” em tudo simétrica do terrorismo islâmico.

Clima

Sobre nuvens e relógios

Paulo Tunhas

Por causa da decisão de Donald Trump de retirar os Estados Unidos do Acordo de Paris, desde o princípio do mês li umas valentes centenas de páginas sobre a controvérsia do “aquecimento global”. 

186
Terrorismo

A Europa e Israel

Paulo Tunhas

Por complexa e contraditória que seja a sociedade israelita, a resistência à permanente ameaça existencial do terrorismo nunca sofre daquela forma peculiar de resignação disfarçada de não-resignação.

Venezuela

O desprezo

Paulo Tunhas

A culpa é sem dúvida da oposição a Maduro. Representasse ela uma Ideia (com maiúscula) de uma sociedade nova, a promessa de uma “sociedade-outra”, e ninguém conseguiria calar Boaventura Sousa Santos.

302
Felicidade

Portugal

Paulo Tunhas

Acaso Fátima, o Benfica e o “Amar pelos dois” nos vão mudar, para melhor ou para pior, colectivamente, a vida? É claro que não. E pretender o contrário é pura e simplesmente falso.

Sociedade

Pequenos-almoços grátis?

Paulo Tunhas

Resta que o “fim da austeridade”, para a maioria das pessoas, é tão postiço como os pequenos-almoços dos ricos das telenovelas. A ficção até pode durar algum tempo, mas o seu declínio é inexorável.

Humor

Elogio de Bruno Aleixo

Paulo Tunhas

Bruno Aleixo alivia, e muito. Permite perceber algo de profundo que se encontra tiranicamente no fundo de cada um de nós e fá-lo em puro gozo e sem didactismo nenhum. Não percam.

224
Política

O mundo aos pedaços

Paulo Tunhas

Ninguém se incomoda com a esquerda se considerar dona do país e agir em conformidade com esse título de proveniência duvidosa, procurando abafar tudo o que represente independência e contra-poder.

105
Comportamento

Elogio da indiferença

Paulo Tunhas

Os micrologistas tendem à especialização em áreas particulares: alimentação, linguagem, e por aí adiante. Vigiam e incitam à punição. Os seus porta-vozes mais conhecidos são os “jornalistas de causas"

160
Filosofia

Optimismos antigos e novos

Paulo Tunhas

Qual foi a maior contribuição de Portugal para o pensamento moderno? Não é talvez bom para a auto-estima, como agora se diz, mas foi indisputavelmente o terramoto de Lisboa de 1755.

Terrorismo

Londres e a irrealidade

Paulo Tunhas

O que se sabe de certeza certa é que o canibalismo islamista voltou a atacar. Como sabemos o que vem a seguir: a exibição ritual de piedade genérica e avisos contra a ameaça da “deriva islamofóbica".

1.238
Liberdade de Expressão

Lenine explica

Paulo Tunhas

Ninguém está a ver Catarina a criar um Gulag na Serra da Estrela. Eu também não. Até nem é preciso. O leninismo, um oportunismo elevado a condição transcendental da política, permite muitas variações.

455