Rui Ramos

Colunista

rramos@observador.pt

Nasci a 22 de Maio de 1962, licenciei-me em história na Universidade Nova de Lisboa, e doutorei-me em ciência política na Universidade de Oxford. Sou professor e investigador no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa e professor convidado do Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica. Escrevi, entre outros livros, A Segunda Fundação (1890-1926), volume VI da História ver mais... de Portugal dirigida por José Mattoso (Círculo de Leitores), e a História de Portugal (Esfera dos Livros, em co-autoria com Bernardo de Vasconcelos e Nuno Monteiro), que recebeu o Prémio D. Dinis em 2009. Na imprensa, tive uma coluna semanal no Diário Económico (2005), e depois no Público (2006-2009), Correio da Manhã (2009) e Expresso (2010-2013). Colaborei em programas de debate semanal na RTP-N, TVI-24, SIC-N e Canal Q, e fui autor da série de 12 episódios “Portugal de...”, da RTP-1 (2006-2007).

Europa

Uma Europa sem Portugal

Rui Ramos

A Europa não vai mudar com Juncker: já mudou, e profundamente. Para os portugueses, a mensagem é clara: uma Europa sem Portugal é perfeitamente imaginável. 

570
Racismo

A racialização de Portugal

Rui Ramos

O aumento da dívida pública é grave, mas talvez a cínica divisão dos portugueses em grupos de interesse e em "raças" opostas ainda venha a ser reconhecida como a mais nefasta herança deste governo. 

1.057
Democracia

A democracia vista por baixo

Rui Ramos

Elegemos representantes cujos primeiros compromissos não são com os cidadãos, mas com os caciques dos partidos. Vista de baixo, a democracia não é a participação de todos, mas a organização de alguns.

534
Governo

O ilusionista desmascarado

Rui Ramos

Esta é a ocasião de restituir verdade ao debate político, e de admitir que, ao contrário do que disse a actual maioria, não há escolhas sem custos e sem riscos. As "cativações" tiveram um preço. 

2.119
Governo

Nunca as eleições foram tão caras

Rui Ramos

O Estado, numa evolução que culminou com o actual governo e a sua maioria, existe sobretudo para distribuir rendimentos a potenciais votantes, mais do que para proteger vidas ou garantir serviços.

1.530

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site