Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um dos traficantes de droga mexicanos mais procurados pelos Estados Unidos foi traído pela sua paixão ao futebol. Jose Dias Barajas, 49 anos, tinha acabado de chegar ao aeroporto do Rio de Janeiro com a mulher e dois filhos quando foi intercetado, na segunda-feira. Já não conseguiu ir para Fortaleza e assistir ao jogo do Mundial, entre o México e o Brasil, para o qual tinha bilhetes.

Barajas, 49 anos, estava na lista vermelha da Interpol e vai ficar preso no Brasil até os Estados Unidos pedirem a sua extradição, segundo informou a Polícia Federal brasileira. A polícia americana tem 90 dias para o fazer. Caso o pedido não seja formalizado, devem as autoridades brasileiras libertar o suspeito.

O mexicano era já procurado há meses pela agência norte americana de combate às drogas. E entrou no Brasil por via terrestre, de carro. Só depois, em Foz do Iguaçu, apanhou o avião.

A Polícia Federal informou ainda que, desde o início do Mundial, já foram impedidos 15 estrangeiros de entrar no país: nove argentinos, dois norte americanos, dois angolanos e dois nigerianos. E que há uma média de 100 pedidos de informação sobre estrangeiros feitos diariamente.

 

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR